O alojamento Lava Homes surgiu de um sonho de construir uma pequena aldeia na Ilha do Pico ideal para férias de famílias. A opção recaiu pela costa norte da ilha, pelas vistas soberbas que oferece.

Lava Homes, uma pequena aldeia turística plantada na Terralta, freguesia de Santo Amaro, Ilha do Pico, Açores. Uma casa longe de casa, num paraíso perdido.” Esta é a descrição que o recebe no site do novo resort de alojamentos, 14 no total, que vão tornar a Ilha do Pico um destino ainda mais irresistíve

Proccuras uma escapadinha de verão estilo chique e ecológico? Conheça Lava Homes , um novo resort ecológico  na Ilha do Pico, nos Açores, que é uma fuga relaxante para os amantes da natureza e da ioga. Escondido em uma encosta com uma vista deslumbrante do mar, o resort de 14 villas foi projetado pelo escritório de arquitetura português Diogo Mega Architects para incorporar a conservação da natureza e princípios sustentáveis, evidenciada pela minimização de perturbações no local, uso de energia renovável e materiais de origem local.









Concluída este ano, a Lava Homes está localizada numa encosta íngreme ao longo da costa norte da Ilha do Pico, na pequena freguesia de Santo Amaro, uma área com vistas soberbas e poucos alojamentos turísticos. Para respeitar a paisagem da ilha e o patrimônio cultural, os arquitetos preservaram elementos das ruínas existentes no local - casas antigas e cercados para animais - e cuidadosamente posicionaram os edifícios para minimizar o impacto no local e imitar o layout de uma pequena vila.






Foi escolhida uma zona na freguesia de Santo Amaro, a Terralta, pelo facto de ter ainda muito pouca oferta de alojamento e sobretudo tirando partido da excelente localização, de um enquadramento paisagístico único, património cultural e envolvente ambiental, onde predominam a calma e a tranquilidade do meio natural.

 



 

 

Lava Homes oferece três tipos de moradias que variam de um a três quartos; um centro polivalente com paredes de vidro com sala de ioga, áreas de reuniões e uma piscina; e Magma, um restaurante e bar no local que oferece pratos de origem local. A arquitetura contemporânea foi construída a partir de materiais de origem local, incluindo pedra e madeira de criptoméria das ilhas. Para eficiência energética, todas as aberturas de vidro são de vidro duplo . Fontes de energia renováveis - de bombas de calor e painéis fotovoltaicos a fogões a pellets - são usadas por toda parte. A água da chuva também é reciclada para irrigação nos jardins que são plantados com flora nativa e endêmica.

 

 



 


O posicionamento deste alojamento passa pela conservação da natureza, a qualidade ambiental e a salvaguarda do património histórico-cultural e identidade local.

 



Todas as unidades de alojamento estão equipadas com painéis fotovoltaicos, o aquecimento é feito por salamandras a pellets, o arrefecimento é feito por ventilação natural, os tanques de água foram mantidos para utilização da mesma em rega, e a água potável servida é água local filtrada por um sistema de carvão ativo.