7 principais pontos turisticos de Mafra


O Palácio Nacional de Mafra dois importantes monumentos portugueses, são património da humanidade UNESCO





Mandado construir no século XVIII pelo Rei D. João V em cumprimento de um voto para obter sucessão do seu casamento com D. Maria Ana de Áustria ou a cura de uma doença de que sofria, o Palácio Nacional de Mafra é o mais importante monumento do barroco em Portugal.



Construído em pedra lioz da região, o edifício ocupa uma área de perto de quatro hectares (37.790 m2), compreendendo 1200 divisões, mais de 4700 portas e janelas, 156 escadarias e 29 pátios.











Tal magnificência só foi possível devido ao ouro do Brasil, que permitiu ao Monarca por em prática uma política mecenática e de reforço da autoridade régia.

Na Flandres, encomendou ainda dois carrilhões com 92 sinos, que constituem o maior conjunto histórico do mundo. Este monumento possui uma das mais importantes bibliotecas europeias com um valioso acervo, abrangendo todas as áreas de estudo do séc. XVIII.



Praia de São Julião (Ericeira)





A Praia de São Julião pertence aos Concelhos de Mafra (freguesia da Carvoeira) e Sintra. Com um extenso areal recortado por arribas, trata-se de uma das mais belas praias da região. Por ser bastante exposta às ondulações, faz parte do roteiro dos surfistas e bodyboarders, principalmente quando estes procuram ondas nos dias mais calmos do verão. Praia vigiada com nadador-salvador, dispõe de bares de apoio a banhistas.

Galardões: Praia de Ouro



Praia da Foz do Lizandro





Situada na freguesia da Carvoeira, a praia da Foz do Lizandro apresenta a maior extensão de areal do Concelho de Mafra e uma paisagem natural indissociável do rio Lizandro, que ali desagua e lhe dá o nome.

Mais do que uma estância de veraneio, esta praia é um polo de lazer, integrando modernos bares e restaurantes com esplanadas. Os estabelecimentos encontram-se dispostos ao longo de um passadiço sobrelevado, paralelo à frente de rio/ mar e que permite efetuar a ligação a um amplo parque de estacionamento.

A praia conta ainda com outros equipamentos, entre os quais balneários, instalações sanitárias e posto de primeiros-socorros, zona desportiva no areal (e também no mar, já que as ondas desta praia são famosas além-fronteiras), duche, colmos e espreguiçadeiras para aluguer. Praia vigiada com nadador-salvador e sistema SOS Praia.



Centro Interpretativo da Serra do Socorro





nserindo-se na Rota Histórica das Linhas de Torres, esta área expositiva foi inaugurada em novembro de 2008, integrando também o Circuito da Enxara. A Serra do Socorro domina paisagisticamente o "coração das linhas de torres", rodeada de fortes e quartéis-generais, tendo aqui sido instalada a estação central das comunicações das Linhas de Torres (1810-11).

A exposição patente organiza-se em três núcleos: a História e Património da Serra do Socorro, as Comunicações Visuais na Guerra Peninsular e o Telégrafo da Serra do Socorro.

O Centro de Interpretação encontra-se instalado na área anexa à ermida da Serra do Socorro ou das Neves, edificada na primeira metade do século XVI (Rota das Enxaras).



Praia do São Sebastião Ericeira





Velada pela ermida que lhe dá o nome, a Praia de São Sebastião situa-se no extremo norte da vila da Ericeira. Acede-se ao areal (comprido mas estreito, praticamente coberto pelo oceano durante a preia-mar) por uma belíssima escadaria de calçada portuguesa. Outro atrativo desta praia passa pelas ondas, muito frequentadas por surfistas e bodyboarders. Praia não vigiada, mas com sistema SOS Praia. O Parque Urbano contíguo disponibiliza estacionamento, bar com esplanada e um parque de manutenção e recreio. 



Complexo Cultural da Quinta da Raposa





Situada na antiga corredoura medieval (zona ampla exterior às muralhas, para onde a então pequena vila de Mafra primeiro se desenvolveu), a Quinta da Raposa deve o seu nome a José Joaquim Raposo, homem que foi agraciado com privilégios por D. Maria I e que aqui construiu a sua residência. O solar foi residência do arqueólogo Estácio da Veiga entre 1867 e 1875, altura em que efetuou diversas investigações na região, que deram origem ao primeiro estudo arqueológico do concelho, intitulado Antiguidades de Mafra.

A quinta tem uma história complexa e multifacetada. Foi comprada pelo Barão do Resgate ainda no século XIX e depois transformou-se em Viveiro Nacional de Mafra, na época do combate à filoxera. Sucederam-se os arrendatários até 1954, ano em que o conjunto foi adquirido e transformado em Seminário de S. Vicente de Paulo. As construções efetuadas por aquela congregação religiosa dotaram o equipamento das estruturas que hoje conhecemos, incluindo uma capela edificada em 1965.



Praia da Orelheira Mafra





A Praia da Orelheira tem uma areal de dimensões razoáveis que se estreita um pouco à medida que caminhamos para Norte. É delimitada, tanto a Norte como a Sul, por formações rochosas.O mar é por norma agitado.

Pequena praia rochosa, localizada a sul da Ribeira D´Ilhas, cujo acesso é a pé da praia da Empa. É pouco conhecido e frequentado e vigilância. É propício para a prática de esportes radicais e caça de pequenos crustáceos.



  • 7 principais pontos turisticos de Mafra