São lugares de sonho que ficam muitas vezes perto da tua Cidade, suficientemente perto para ir e voltar no mesmo dia, Quando pensamos em visitar Portugal, os primeiros lugares que nos vêm à cabeça são: Lisboa, Porto e Algarve, mas, como deve saber, Portugal não se resume só a estes três lugares. Neste artigo vais podes visitar 7 aldeias e Vilas históricas de Portugal 

 

Ponte de Lima, a vila mais antiga de Portugal

 



 

Em Ponte de Lima, terra de história e de histórias, um passeio pelo centro é um passeio pelas raízes da nossa ancestralidade. O Largo de Camões, sala de visitas da vila, acolhe-o com o Chafariz Nobre, terminado de construir em 1603. A Ponte, logo ali ao lado, vai abrir-lhe o apetite para a respectiva travessia, a pé, ao longo de cerca de três centenas de metros.

Atravesse-a e admire a beleza da Igreja de Santo António da Torre Velha, do século XIX, com destaque para a altura da torre e para as gárgulas existentes em cada ângulo da mesma. Contígua, a Capela do Anjo da Guarda, uma construção com raízes românicas e góticas, que muitos atribuem ao século XIII, vai aguçar-lhe a curiosidade pela forma singela e harmoniosa com que se insere na paisagem.

Continue na margem direita onde a importância da agricultura é registada no Museu Rural, junto aos Jardins Temáticos do Arnado – visite a sala do linho, a cozinha regional, o forno de cozer o pão e a adega. Não regresse à outra margem sem visitar o Festival Internacional de Jardins, se a sua visita coincidir com as datas em que se encontra aberto ao público, e o pitoresco Arrabalde de Além da Ponte, de inegável interesse arquitectónico. 

 

Monsanto

 






Monsanto situa-se a nordeste das Terras de Idanha, aninhada na encosta de uma elevação escarpada - o cabeço de Monsanto (Mons Sanctus) - que irrompe abruptamente na campina e que, no seu ponto mais elevado, atinge 758 metros. Pelas várias vertentes da encosta e no sopé do monte, existem lugarejos dispersos, atestando a deslocação populacional em direção à planície.

Trata-se de um local muito antigo, onde se regista a presença humana desde o paleolítico. Vestígios arqueológicos dão conta de um castro lusitano e da ocupação romana no denominado campo de S. Lourenço, no sopé do monte. Vestígios da permanência visigótica e árabe foram também encontrados.




Almeida 









Almeida perante a necessidade de modernizar as obsoletas estruturas medievais, empenhou-se após a Restauração, na construção de uma renovada máquina de guerra que se pudesse adaptar às novas armas de fogo, e que lhe permitisse selar a fronteira. A Praça-forte é de planta hexagonal, constituída por seis baluartes, aos quais correspondem o mesmo número de revelins.




Arcos de Valdevez




Arcos de Valdevez é uma vila raiana portuguesa no Distrito de Viana do Castelo, região Norte e sub-região do Minho-Lima, com cerca de 22 000 habitantes.

O chamado Torneio de Arcos de Valdevez também conhecido por "Recontro de Valdevez", foi um importante e decisivo episódio da História de Portugal ligado aos primeiros tempos da nacionalidade, sendo o antecedente da celebração do Tratado de Zamora em 1143.




Ponte da Barca 









Ponte da Barca é uma vila portuguesa no Distrito de Viana do Castelo, região Norte e sub-região do Minho-Lima, com cerca de 2 300 habitantes.

É sede do concelho de mesmo nome com 184,76 km² de área e 12 061 habitantes (2011), subdividido em 17 freguesias.O concelho é limitado a norte pelo concelho de Arcos de Valdevez, a leste pela Espanha, a sul por Terras de Bouro e Vila Verde e a oeste por Ponte de Lima.

 

Melgaço

 






Não será por acaso, que foram descobertas no Monte de Prado, projectadas da encosta ribeirinha (e quase despercebidas na vegetação desordenada), uma série ainda não quantificada de esculturas de monstros, cujas características são em tudo semelhantes às proas dos barcos viquingues. É sabido, das incursões constantes deste povo no local, bem como na restante costa marítima e ribeirinha do norte de Portugal e da Galiza.




Belmente









Terra de Pedro Álvares Cabral, situada em plena Cova da Beira e com ampla vista sobre a encosta oriental da Serra da Estrela, a vila de Belmonte justifica plenamente as características que lhe terão dado o nome. Diz a tradição que o nome Belmonte provém do lugar onde a Vila se ergue (monte belo ou belo monte). Porém, há quem lhe atribua a origem de “belli monte” – monte de guerra. Terra solarenga, de boas gentes, paisagens sem fim e uma história de séculos.