Os 8 melhores pontos turisticos e passeios em Monumentos Portalegre


Castelo de Castelo de Vide





O Castelo de Castelo de Vide, no Alentejo, localiza-se na freguesia de Santa Maria da Devesa, povoação e concelho de Castelo de Vide, distrito de Portalegre, em Portugal.

Em posição dominante no alto de uma colina a norte da serra de São Mamede, revestia-se de importância estratégica devido à sua proximidade com a fronteira. Devido ao esplendor da paisagem circundante, a povoação é conhecida localmente como a Sintra do Alentejo.

Feitas e desfeitas as fortificações medievais ao longo do séc. XIII, ao sabor dos interesses senhoriais que quase sempre, brigavam com os interesses da coroa e também com os da população, que preferia ter como senhor o longínquo rei, levanta-se definitivamente o castelo, por iniciativa de D. Dinis, concluindo-se já no reinado de seu filho, Afonso IV, em 1327. Foi assim que Vide passou a Castelo de Vide. O castelo situa-se no canto S das fortificações medievais, que integram o primitivo burgo, constituindo as suas muralhas o prolongamento das da cerca urbana. 



Castelo de Amieira





O Castelo de Amieira, também referido como Castelo da Amieira, no Alentejo, localiza-se na freguesia e vila de Amieira do Tejo, no concelho de Nisa, distrito de Portalegre, em Portugal.

A antiga povoação de Amieira, a meio caminho entre Belver e Nisa, integrava a chamada Linha do Tejo, linha de defesa da fronteira, na margem sul do rio Tejo. Constituí­a-se numa das onze vilas que a Ordem dos Hospitalários detinha na região.

Castelo de planta rectangular com torres de ângulo, de secção quadrada, não maciças, interligadas pelos adarves dos troços de muralha; a Torre de São João, a sudeste, tem dois pisos, dispondo a de Menagem, a nordeste, de quatro (uma das janelas é mainelada, com moldura gótica).

As quadrelas norte e sul apresentam escadas endossadas que dão acesso aos adarves; no centro do pátio, uma cisterna. O castelo está envolvido por barbacã de desenho pentagonal, com porta principal a nascente, envolvendo aí, a capela quinhentista de São João. É também neste sector que se abre a porta principal do castelo, junto à Torre de Menagem, localizando-se a da traição na diagonal oposta, através da qual se acede à liça e daí a exterior pela porta da barbacã, a sudoeste.



Castelo de Alter do Chão





O Castelo de Alter do Chão, no Alentejo, localiza-se na freguesia de Alter do Chão, na vila e concelho de mesmo nome, distrito de Portalegre, em Portugal.

No centro histórico da vila, este castelo é representativo da arquitetura medieval trecentista, quando cooperava com o vizinho Castelo de Alter Pedroso na defesa desta região.



Castelo de Avis Alentejo





O Castelo de Avis localiza-se na vila, freguesia e concelho de Avis, no distrito de Portalegre, em Portugal.

A sua edificação prende-se à instalação da Ordem Militar de São Bento de Avis na região do Alentejo.

A construção deste castelo está ligado a uma lenda, que conta que alguns frades andavam a procura do local ideal para a construção de uma fortaleza, e num monte viram duas águias pousadas num sobreiro. A observação das águias foi considerada como um sinal favorável e assim decidiram construir o castelo naquele local e intitularam-no Avis, pois em latim significa Ave. As lendas contam também que o Castelo de Avis foi construído durante a noite, sendo ocultado de dia com ramos de árvores.



Cidade-Quartel Fronteiriça de Elvas e as suas Fortificações





Designa-se por Cidade-Quartel Fronteiriça de Elvas e as suas Fortificações o conjunto histórico-cultural classificado como Património Mundial da UNESCO em 2012, localizado na cidade de Elvas, em Portugal.

O sí­tio classificado foi fortificado de forma extensiva entre os séculos XVII e XIX, e representa o maior sistema de fortificações abaluartadas do mundo. No interior das muralhas, a cidade inclui grandes casernas e outras construções militares bem como igrejas e mosteiros. Enquanto Elvas conserva vestí­gios que remontam ao século X, as suas fortificações datam da época da restauração da independência de Portugal em 1640.

Várias das fortificações, desenhadas pelo padre jesuí­ta neerlandês João Piscásio, representam o mais bem conservado exemplo de fortificações do mundo com origem na escola militar holandesa.

A cidade de Elvas, situada a 8 KM de Badajoz (Espanha), constituiu um ponto estratégico de defesa da fronteira e herdou um vasto património militar de reconhecido valor e autenticidade. Foi classificado como Património da Humanidade todo o centro histórico, as muralhas abaluartadas do séc. XVII, o Forte de Santa Luzia, o Forte da Graça, o Aqueduto da Amoreira e os três fortins: de São Pedro, de São Mamede e de São Domingos ou da Piedade.

O conjunto de fortificações de Elvas, cuja fundação remonta ao reinado de D. Sancho II, é o maior do mundo na tipologia de fortificações abaluartadas terrestres, possuindo um perímetro de oito a dez quilómetros e uma área de 300 hectares. Construídas no âmbito da Guerra da Restauração, as muralhas abaluartadas são um exemplo notável da primeira tradição holandesa de arquitetura militar.

Destacamos o Forte da Graça como um exemplo notável da arquitetura militar do séc. XVIII, considerada por muitos historiadores como uma das mais poderosas fortalezas abaluartadas do mundo, é ainda original pela sua conceção e implantação num monte bastante elevado e o Aqueduto da Amoreira, construído entre 1530 e 1622 para o abastecimento de água à cidade, tem 1367 metros de galerias subterrâneas e mais de 5 quilómetros e meio à superfície com arcadas que chegam a superar os 30 metros de altura.



Ponte de Vila Formosa





A Ponte da Vila Formosa, no Alentejo, localiza-se sobre a ribeira de Seda, na freguesia de Seda, concelho de Alter do Chão, distrito de Portalegre, em Portugal.

Sendo uma construção romana, dos séculos I ou II, manteve até há poucos anos a sua utilização para passagem de automóveis para ligação de Alter do Chão a Chança e Ponte de Sôr, até ser construída uma estrada paralela e outra ponte, sendo este espaço adaptado para Parque de Merendas.

Esta ponte estava integrada na via romana que ligava Lisboa a Mérida (capital da Lusitânia) passando por Ponte de Sor e Alter do Chão.

Compõe-se de 6 arcos de volta perfeita com 33 aduelas todas iguais registando um diâmetro por arco de 8,95 metros. O comprimento total do tabuleiro é de cerca de 117 metros, atingindo na sua altura máxima 8,40 metros.

Classificação Esta ponte está classificada como Monumento Nacional desde 1910.

Localização A ponte situa-se na antiga estrada que foi substituida pela N369, a meio caminho entre Vale de Açor e Alter do Chão, sobre a ribeira da Seda.



Villa Lusitano-Romana de Torre de Palma Évora





A Villa Romana de Torre de Palma situa-se a cerca de 5 Km de Monforte, na herdade de Torre de Palma. Trata-se de uma vasta vila romana que de certo modo pertenceu a uma poderosa famí­lia Romana, os Basí­lios, nome é conhecido através de uma inscrição encontrada no local, construí­ram uma majestosa residência, aí­ se fixando permanentemente possivelmente desde o século II até o IV.



Igreja de Nossa Senhora da Assunção (Elvas)





A Igreja de Nossa Senhora da Assunção, antiga Sé de Elvas, localiza-se na Praça da República, na freguesia da Assunção, cidade e concelho de Elvas, no distrito de Portalegre, em Portugal. Em termos artísticos, a Sé de Elvas é um templo originalmente manuelino, mas que perdeu esta traça durante os séculos após alterações mandadas fazer nele pelos bispos da cidade.

Em 2014, a antiga Sé de Elvas foi integrada num novo projeto do Ministério da Defesa Nacional, criado com o apoio do Turismo de Portugal, chamado Turismo Militar, que tem como objetivo revitalizar antigos pontos históricos de Portugal, através da criação de Roteiros temáticos baseados em heróis portugueses.

A igreja, localizada em pleno centro histórico da cidade, é parte do conjunto da Cidade-Quartel Fronteiriça de Elvas e as suas Fortificações, inscrita como Património Mundial da UNESCO.



  • Os 8 melhores pontos turisticos e passeios em Monumentos Portalegre


Outros Artigos Populares no Blogue