Praia de So Julio (Ericeira)





A Praia de São Julião pertence aos Concelhos de Mafra (freguesia da Carvoeira) e Sintra. Com um extenso areal recortado por arribas, trata-se de uma das mais belas praias da região. Por ser bastante exposta às ondulações, faz parte do roteiro dos surfistas e bodyboarders, principalmente quando estes procuram ondas nos dias mais calmos do verão. Praia vigiada com nadador-salvador, dispõe de bares de apoio a banhistas.

Galardões: Praia de Ouro



Praia da Orelheira Mafra





A Praia da Orelheira tem uma areal de dimensões razoáveis que se estreita um pouco à medida que caminhamos para Norte. É delimitada, tanto a Norte como a Sul, por formações rochosas.O mar é por norma agitado.

Pequena praia rochosa, localizada a sul da Ribeira DIlhas, cujo acesso é a pé da praia da Empa. É pouco conhecido e frequentado e vigilância. É propício para a prática de esportes radicais e caça de pequenos crustáceos.



Praia dos Tombadoiros Ericeira Mafra





A Praia dos Tombadoiros localiza-se sobre uma enorme laje rochosa na base da falésia, nas imediações da Estrada Nacional 247.O areal reduz-se a pequenas tiras de areia entrecortada por inúmeros seixos.O mar é por norma agitado. Durante a maré alta, alcança a falésia, fazendo desaparecer o diminuto areal sob as suas águas.



Palcio Nacional de Mafra





O Convento/Palácio Nacional de Mafra localiza-se no concelho de Mafra, no distrito de Lisboa, em Portugal, a cerca de 25 quilómetros de Lisboa. É composto por um palácio e mosteiro monumental em estilo barroco joanino, na vertente alemã. Os trabalhos da sua construção iniciaram-se em 1717 por iniciativa de João V de Portugal, em virtude de uma promessa que fizera em nome da descendência que viesse a obter da rainha dona Maria Ana de áustria.

O edifí­cio ocupa uma área aproximada de quatro hectares (37.790 m2). Construí­do em pedra lioz abundante na região de Mafra é constituí­do por 1200 divisões, mais de 4700 portas e janelas, 156 escadarias e 29 pátios e saguões.

Classificado como Monumento Nacional em 1910, foi um dos finalistas da iniciativa Sete Maravilhas de Portugal a 7 de Julho de 2007.

Mafra é uma Vila. É uma vila conhecida pelo seu Monumento, um grande monumento de pedra. Mafra é Mármore. Mafra é, no dizer de um viajante suíço (Merveilleux) do século XVIII, a “metamorfose do ouro em pedra”.

Mafra é Arte. Arte cosmopolita. Arte com magnificência. Mafra é Arte com sentido - a cenificação, o espectáculo e a representação do poder.

Mafra é o esplendor do Barroco!

Estamos perante o monumento português que melhor reflecte  o que podemos chamar de Obra de Arte Total: arquitectura,  escultura, pintura, música, livros, têxteis… enfim, um património tipologicamente diversificado, coerentemente pensado e criteriosamente encomendado para este Palácio/Convento/Basílica/Tapada e que aqui configura uma realidade única.



Praia da Baleia ou praia do Sul na Ericeira Mafra





A Praia do Sul (ou Baleia), próxima do centro da vila e com fácil acessibilidade a pé, é um espaço familiar, onde toda a gente se conhece. Os toldos e barracas às riscas coloridas identificam as várias concessões balneares, abrigando autênticos clãs e criando uma sensação de recuo no tempo. O hotel Vila Galé (antes Hotel de Turismo) é um acarinhado ícone da paisagem.

Abrigada dos ventos de norte pela Ponta de Santa Marta, estamos perante uma das mais seguras zonas de banhos desta costa atlântica, mas nem assim lhe faltam ondas para fazer as delícias de surfistas e bodyboarders. Praia vigiada com nadador-salvador e sistema SOS Praia, tem bares de apoio aos banhistas, balneários públicos e duche.

Galardão: Bandeira Azul; Praia Saudável; Praia de Ouro 



Aldeia Museu de Jos Franco





Aldeia-Museu José Franco, Aldeia Típica de José Franco, Aldeia Típica do Sobreiro ou simplesmente Aldeia Saloia. Qualquer uma destas designações aponta a bússola para a pequena localidade do Sobreiro, entre a Ericeira e Mafra, onde se situa uma das mais reconhecidas aldeias musealizadas do país.

A história da pequena aldeia remonta ao nascimento do oleiro José Franco, em 1920. O seu pai era sapateiro e a mãe, vendedeira de loiça, fazendo a venda de barros de porta em porta, bem como por muitas feiras e mercados estremenhos. Visto que o Sobreiro era um importante centro oleiro, desde cedo José Franco conviveu com o ofício e, ainda criança, ao deixar a escola primária, aprendeu o ofício com dois mestres oleiros locais, antes de trabalhar por conta própria, aos 17 anos de idade. Nessa época, reabilitou a olaria que tinha pertencido ao avô, há muito desativada.

Em início dos anos 60, José Franco deu asas a um sonho, de recriar uma aldeia de caráter etnográfico, onde as suas memórias de infância se cristalizassem, testemunho do modo de viver das gentes locais, em homenagem à sua terra. A sua aldeia teria dois componentes: seria uma réplica das antigas oficinas e lojas, dos espaços vividos, decorados e apetrechados por objetos reais, onde se reproduziam os costumes e atividades laborais intrínsecas à sua infância e à vida camponesa da região de Mafra; em simultâneo, a aldeia compreendia uma área lúdica, dedicada às crianças, repleta de miniaturas de casas e habitantes que retratavam as atividades exercidas à época: trabalhos no campo, carpintarias, moinhos de vento, capelas, mercearias, escolas, adegas, camponeses e até uma reprodução da vila piscatória da Ericeira e dos ofícios ligados ao mar. Em anos posteriores, a Aldeia-Museu foi beneficiada pela construção de uma terceira área, murada como um castelo, com um parque-infantil, incorporando alguns engenhos agrícolas, que as crianças podiam movimentar livremente.

Hoje, o pequeno mundo moldado pelas mãos de José Franco (falecido em 2009) é visitado anualmente por milhares de pessoas. E, para além da exposição das figuras, no museu que lhe foi dedicado, os visitantes encontram réplicas à escala humana de muralhas de castelos, moinhos de vento, um parque infantil, uma pequena adega onde podem provar o vinho da região ou ainda a padaria, onde podem comprar o afamado pão com chouriço, entre outros. Na Aldeia de José Franco cabe a dedicação de uma vida à nobre atividade tradicional da olaria, expondo ainda a rica cultura artesanal do Concelho de Mafra.



Praia do Matadouro Ericeira





Localizada na freguesia da Ericeira, possui um areal limitado mas muito espaço dentro de água para albergar as inúmeras escolas de surf que a procuram para dar aulas aos seus alunos. Dispõe de instalações sanitárias móveis durante a época balnear. Praia não vigiada, mas com sistema SOS Praia. A curta distância da Praia do Matadouro localiza-se o Ericeira Camping (distinguido com o galardão GreenKey), que se diferencia pela oferta de serviços no âmbito do campismo e caravanismo. 



Praia de So Loureno Ericeira (Mafra)





Bastante espaçosa e das mais frequentadas da região, a praia de São Lourenço localiza-se na freguesia de Santo Isidoro, mais precisamente entre as localidades de Ribamar e São Lourenço. Alia à beleza da sua paisagem – marcada pela foz do Safarujo e o extenso areal – a qualidade dos equipamentos disponibilizados aos banhistas: além dum amplo parque de estacionamento, integra um apoio de praia (com balneários, instalações sanitárias, posto de primeiros-socorros e um agradável bar com esplanada), zona desportiva no areal, duche, passadiços de acesso, colmos e espreguiçadeiras para aluguer. As suas ondas, que integram a Reserva Mundial de Surf da Ericeira, são muito procuradas por surfistas e praticantes de stand up paddle. Praia vigiada com nadador-salvador e sistema SOS Praia.



Complexo Cultural da Quinta da Raposa





Situada na antiga corredoura medieval (zona ampla exterior às muralhas, para onde a então pequena vila de Mafra primeiro se desenvolveu), a Quinta da Raposa deve o seu nome a José Joaquim Raposo, homem que foi agraciado com privilégios por D. Maria I e que aqui construiu a sua residência. O solar foi residência do arqueólogo Estácio da Veiga entre 1867 e 1875, altura em que efetuou diversas investigações na região, que deram origem ao primeiro estudo arqueológico do concelho, intitulado Antiguidades de Mafra.

A quinta tem uma história complexa e multifacetada. Foi comprada pelo Barão do Resgate ainda no século XIX e depois transformou-se em Viveiro Nacional de Mafra, na época do combate à filoxera. Sucederam-se os arrendatários até 1954, ano em que o conjunto foi adquirido e transformado em Seminário de S. Vicente de Paulo. As construções efetuadas por aquela congregação religiosa dotaram o equipamento das estruturas que hoje conhecemos, incluindo uma capela edificada em 1965.



Praia do Forte da Ericeira





É uma praia ideal para quem quer estar fora da confusão.Sem apoios e não é vigiada. O acesso pode ser feito pela praia da Empa.



Praia da Empa em Mafra toda informao





É uma praia pequena, frequentada sobretudo na baixa-mar, mas acomoda vários encantos. Além das rochas e pocinhas, concentram-se aqui duas das ondas que compõem a Reserva Mundial de Surf da Ericeira: as irmãs gémeas que dão pelo nome de Pedra Branca e Reef seduzem surfistas e bodyboarders ao longo do ano inteiro. Não vigiada, mas com sistema SOS Praia, dispõe de instalações sanitárias móveis durante a época balnear.

A Praia da Empa, também conhecida por Praia da Pedra Branca, tem um areal de pequenas dimensões na zona Norte. Na zona centro, existe uma enorme laje rochosa com cerca de 100 metros de comprimento.O mar costuma ser bastante agitado.

O acesso a partir do estacionamento de apoio no topo da falésia, é feito por uma escadaria que se bifurca em duas a meio e segue direções opostas.Esta praia integra a Ericeira World Surfing Reserve.

A escassos metros da Praia da Empa (basta mesmo atravessar a Estrada Nacional 247) localiza-se o Ericeira Camping (distinguido com o galardão GreenKey), que se diferencia pela oferta de serviços no âmbito do campismo e caravanismo. 



Praia do Algodio Praia do Norte Ericeira





Também conhecida como Praia do Algodio, a Praia do Norte é uma praia urbana limitada pelo molhe da Ericeira. Tendo acesso a partir do centro da vila, esta é uma das praias mais concorridas da região, com uma frequência muito diversificada.

Com acesso directo ao centro da Ericeira, é limitada a norte por um esporão rochoso natural que a separa da Praia de São Sebastião e a Sul pelo molhe do porto de pesca. Beneficiando de serviço de salva-vidas, é, no entanto, vulnerável aos ventos de Norte.

Turismo em Portugal

Explora restaurantes museus hoteis e muito mais em Portugal