Sistelo foi primitivamente uma Póvoa medieval, de cujo período parecem sobreviver traços em elementos como a implantação do cruzeiro, do fontanário ou na organização do casario.

As Inquirições de 1258 ao referirem-se à freguesia de Cabreiro, dizem que Sistelo era uma recente e pequena póvoa, que a família do fundador havia doado à Ordem do Hospital. As propriedades do termo da referida póvoa encontravam-se isentas de fossadeira, por pertencerem àquela Ordem. 

 






Parece, porém, deduzir-se que os seus habitantes estavam sujeitos à anúduva, bem como à cobertura da fronteira, guardando o porto de Couso

O porto de Couso deve situar-se perto do marco geodésico do Couço (752 m. de altitude), isto é, junto da confluência do rio Sistelo e ribeira de Cabreiro. 






Chegar a Sistelo é entrar numa paisagem natural esmagadora. A aldeia, construída junto ao rio Vez, está no centro de um cenário moldado por socalcos, uma enorme escadaria verde cavada pelos homens e que desce dos pontos mais altos até ao vale.









Sistelo foi primitivamente uma Póvoa medieval, de cujo período parecem sobreviver traços em elementos como a implantação do cruzeiro, do fontanário ou na organização do casario

Sistelo é um local apaixonante! É uma das sete maravilhas naturais de Portugal 











 

A aldeia fica no concelho de Arcos de Valdevez, em pleno Parque Nacional da Peneda-Gêres, junto à nascente do rio Vez. Conhecida pela paisagem em socalcos, as casas típicas de granito, espigueiros e lavadouros públicos recuperados contam a história de uma ladeia que parece ter ficado parada no tempo. Chamam-lhe o pequeno Tibete português














istelo está integrada no concelho de Arcos de Valdevez cuja área total de paisagem está inserida na Reserva Mundial da Biosfera da Unesco e pode ser admirada de perto por quem percorre a Ecovia, uma linha de passadiços com mais de 30 quilómetros.