Braga partilha o terceiro lugar com mais oito cidades, como Málaga ou Estocolmo, embora nos itens considerados mais fundamentais a capital do Minho se destaque das restantes. A boa relação entre o preço e a qualidade da habitação e a excelência dos serviços de educação são os aspetos que mais contribuem para a extraordinária classificação da cidade, tendo aí conseguido os 2º e 3º lugares, respetivamente.



A cidade de Braga é uma das mais jovens e dinâmicas de Portugal, com 46% de população jovem, e uma das mais jovens de toda a Europa, apesar de ser a mais antiga cidade portuguesa, com mais de dois mil anos. Com um ensino superior de qualidade e um preço de habitação mais barato do que as grandes capitais, tem uma dimensão média, 183 km2, factores que contribuem para a qualidade de vida que oferece. Braga é também uma das cidades cristãs mais antigas do mundo, conhecida como a cidade dos arcebispos. Conta hoje com cerca de 192 mil habitantes.

 

História de cidade de Braga

Fundada pelos romanos no ano 16 a.C., foi denominada “Bracara Augusta” em honra do imperador César Augusto. Foi capital da Galécia, de onde irradiavam 5 Vias Romanas, com um vasto território que ia desde o norte do Douro até ao Cantábrico. Depois de uma série de conquistas e reconquistas e ocupações por vários povos, o rei de Leão, D. Afonso VI, doou-a como dote a sua filha D. Teresa (mãe de D. Afonso Henriques, fundador da nacionalidade), quando esta casou com o Conde D. Henrique de Borgonha.

Quase todos os bracarenses (97%) vivem felizes na cidade, o que coloca a cidade no terceiro lugar da tabela de um Eurobarómetro sobre qualidade de vida nas cidades europeias.

Lisboa e a região da Grande Lisboa estão, segundo o inquérito, empatadas, com 89% de habitantes a responderem estar satisfeitos. Em relação aos cuidados de saúde, Lisboa é a cidade portuguesa com mais cidadãos satisfeitos (59%), seguindo-se Braga (52%) e a Grande Lisboa (50%).

Em relação à satisfação com transportes públicos nas cidades que são capital do país, Lisboa apresenta 54% dos cidadãos contentes, ficando em quinto lugar a contar do fim, numa tabela liderada por Viena (95%), Helsínquia (93%), Praga e Londres (86%).