Tem apenas 120 habitantes é uma das aldeias mais bonitas do centro de Portugal

Tem apenas 120 habitantes é uma das aldeias mais bonitas do centro de Portugal

Enquanto percorremos a Serra do Açor, ao mesmo tempo que nos deixamos encantar pelo aspecto majestoso e puro da paisagem, a curiosidade e a impaciência invadem-nos. Piódão teima em permanecer escondido para, inesperadamente, deslumbrar com a sua arquitetura, que tão bem exemplifica a capacidade que temos para de forma harmoniosa nos adaptarmos aos mais inóspitos e também mais sublimes locais.

 

Como se de um presépio se tratasse, as casas distribuem-se em redor dos socalcos, nas quais pontuam o azul e o negro xisto, por entre sinuosas e estreitas ruelas, que em cada canto escondem a história da Aldeia Histórica de Piódão

 

 
 
 
Ver esta publicação no Instagram

Uma publicação partilhada por Lenscape (@lenscape.shot)

 

Piódão é uma freguesia portuguesa do município de Arganil, com 120 habitantes. A sua densidade populacional é de 3,3 hab/km². A freguesia inclui as seguintes aldeias e quintas: Piódão, Malhada Chã, Chãs dÉgua, Tojo, Fórnea, Foz d`Égua, Barreiros, Covita, Torno, Casal Cimeiro e Casal Fundeiro

 

 
 
 
Ver esta publicação no Instagram

Uma publicação partilhada por voyage_eneurope (@voyage_eneurope)

 

No Numeramento Joanino de 1527, o primeiro recenseamento populacional nacional, Piódão aparece inserido na vila de Avô, como casall do piodam com dois moradores apenas. Mais tarde integra a Freguesia de Aldeia das Dez, da qual é desanexado em 1676 e passa a ser Freguesia.

O Decreto de 24 de Outubro de 1855 extingue o Concelho de Avô, e transfere a Freguesia para o de Arganil, onde atualmente se encontra

 

 
 
 
Ver esta publicação no Instagram

Uma publicação partilhada por My Sat Nav (@mysatnav.26)

 

A aldeia histórica não tem mais do que cem habitantes. E quase a totalidade das calçadas e construções são em xisto, com janelas e portas pintadas de azul e branco. Tudo isso esparramado montanha abaixo, emoldurado pelo verde da vegetação. O que destoa neste cenário pra lá de bucólico é somente a igreja principal do vilarejo, toda em branco e azul, com torres cilíndricas arrematadas por cones. Destoa, mas combina perfeitamente com o local.

 

 
 
 
Ver esta publicação no Instagram

Uma publicação partilhada por Antonio Felix (@afelix)

 

No fim de tarde, as pedras em xisto parecem brilhar sob os últimos raios de sol. E à noite, as iluminação das casas, vistas de longe, dão a impressão de se estar admirar um presépio de Natal. 

 

 







O que visitar e conhecer em Portugal

Os 18 melhores pontos turisticos para visitar em Porto

Os 18 melhores pontos turisticos para visitar em Porto

Praia Redonda (Pvoa de Varzim)A Praia Redonda, historicamente conhecida como Praia de Banhos, é uma extensa praia marí­tima na área urbana da Póvoa de Varzim, localizada entre a Enseada da Póvoa (Porto de Pesca da Póvoa de Varzim) e a Praia da Salgueira. A Praia Redonda é uma praia bastante freq...
Os 8 melhores pontos turisticos para conhecer e visitar em Matosinhos

Os 8 melhores pontos turisticos para conhecer e visitar em Matosinhos

Praia de Fuzelhas (Lea da Palmeira) Matosinhos Apesar de ter muitas rochas, esta praia torna-se muito agradável para as crianças pela quantidade de poças que se formam na maré baixa, cenários muito apreciados para todo o tipo de brincadeiras. A Praia de Fuzelhas possui completas infraestruturas de apoio, be...
Os 9 melhores sitios para ver e visitar em Viana do Castelo

Os 9 melhores sitios para ver e visitar em Viana do Castelo

Torre de Lapela MonoA Torre de Lapela  localiza-se junto ao rio Minho, na freguesia de Lapela, concelho de Monção, distrito de Viana do Castelo, em Portugal. A Torre de Menagem de Lapela, conhecida como a melhor varanda sobre o rio Minho agora batizada como Núcleo Museológico Torre de Lapela, mantem a sua po...
Os 12 melhores sitios para ver e visitar em Évora

Os 12 melhores sitios para ver e visitar em Évora

Castelo do Alandroal voraSegundo duas das fascinantes inscrições existentes no castelo, a sua obra iniciou-se em Fevereiro de 1294 e terminou exactamente quatro anos depois; a mesma fonte nos diz que foi seu construtor o mouro Galvo. Porém, ainda em 1280 se fazem referências às relações entre a Ordem...