O que fazer em Museus os 9 melhores locais para visitar


Museu do Design de Lisboa





1. A entrada no museu e nas exposições é gratuita.

2. A opção museográfica do MUDE permite uma melhor compreensão dos objetos. Contudo, todas as peças (moda e design) em exposição são frágeis e podem ser danificadas com um simples toque. Ajude-nos a proteger este património, não toque nas peças.

3. Para proteger as obras expostas de possíveis acidentes, os objetos volumosos tais como, guarda-chuvas, embalagens, mochilas e sacos com mais de 35x35 cm não são permitidos dentro das salas de exposição. Chamamos ainda a atenção para a área de bengaleiro ser limitada, razão pela qual solicitamos a vossa melhor atenção.

4. Por questões de direitos de autor e conservação das peças, não é permitida a captação de fotografias e imagens vídeo no interior das exposições, com exceção para as que os autores derem prévia permissão.

5. Por motivos imprevistos as exposições poderão estar temporariamente encerradas.

6. Tente manter as crianças sempre próximas e explique-lhes a importância de não tocar nos objectos. Evite que corram dentro das salas de exposição.



Museu Antonino de Faro





No contexto museológico da cidade de Faro assume particular interesse o Museu Antonino, que, reunindo características populares, perpectualiza justamente a memória de um dos mais antigos padroeiros desta cidade:

Santo António. A ermida de Stº António do Alto, onde se acha inserido o Museu, situa-se na mais alta colina da cidade, que em tempos idos foi uma primitiva torre de vigia da costa (as conhecidas atalaias), que para contrariarem as constantes investidas dos corsários árabes davam o sinal de rebate chamando as populações a defenderem os seus haveres. Igualmente ali se verificaram sangrentas lutas, durante a guerra civil de 1832-1834, pela posse do mais estratégico ponto militar da cidade, facto esse que era há anos facilmente constatável pelos buracos das balas incrustadas nas paredes do edifício, mas que, infelizmente, são hoje irreconhecíveis devido aos trabalhos de reboco e restauro mandados executar pela edilidade.



Museu Nacional de Etnologia Lisboa





O Museu Nacional de Etnologia criado em 1965 situa-se em Lisboa, na zona do Restelo.

Como o seu próprio nome indica, neste museu mostram-se artefactos de povos, ditos primitivos, de variadí­ssimas origens.

Inicialmente o museu só tinha exposições temporárias, mas posteriormente essa situação foi alterada, passando a ter também exposições permanentes.

Do acervo deste museu fazem parte colecções de peças de povos de diversas origens como de Angola, Moçambique, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Mali, Costa do Marfim, Gana, Nigéria, Camarões, Indonésia, Timor, Macau, da Amazónia (í­ndios Wauja) e Portugal. De destacar objectos da vida rural portuguesa e uma razoável colecção de instrumentos musicais tradicionais.

O acervo do Museu Nacional de Etnologia reúne objetos oriundos de diversas partes do Mundo. Na exposição permanente,

O museu, muitas coisas, destacam-se: o teatro de sombras de Bali; as bonecas do sudoeste de Angola; as tampas de panelas com provérbios de Cabinda; máscaras e marionetas do Mali; instrumentos musicais populares Portugueses; as talas de Rio de Onor e a escultura de Franklim que resultam, na sua maioria, de coleções estudadas através de um programa intensivo de estágios que o museu tem vindo a promover. É de destacar também a possibilidade de visitar dois espaços de reserva: as Galerias da Vida Rural e as Galerias da Amazónia.



Arquivo-Museu da Santa Casa da Misericórdia da Vila da Ericeira





Arquivo-Museu da Santa Casa da Misericórdia da Ericeira  
Desde a sua instituição no ano de 1678, a Santa Casa da Misericórdia da Ericeira, vem acumulando recordações, documentos e espólios não só da sua actividade de solidariedade social, bem como de diversas doações que regularmente lhe concedem.

O extenso acervo deu corpo a uma iniciativa, também já com 75 anos, de o conservar em moldes museológicos actuais, abrindo-o à apreciação pública.

Museu   O Museu da Santa Casa da Misericórdia da Ericeira congrega uma apreciável colecção de Arte Sacra composta por paramentos, alfaias litúrgicas e outras peças religiosas, uma sala exclusivamente vocacionada para a actividade piscatória da Vila e um invulgar acervo documental reservado, com início no século XV.

O Museu abre ao público às quartas-feiras a partir da 10:30h durante todo o ano. Visitas de grupo noutro horário, deverão ser solicitadas à Santa Casa da Misericórdia da Ericeira para marcação prévia.

O Museu da Misericórdia foi fundado em 01 de Junho de 1937. Inicialmente foram-lhe destinadas duas salas, ocupando hoje a totalidade das divisões do edifício, que estão organizadas nos seguintes núcleos museológicos:



Museu de Lamego no centro histórico da cidade de Lamego





O Museu de Lamego encontra-se no centro histórico da cidade de Lamego, no antigo Paço Episcopal, um edifí­cio reconstruí­do na segunda metade do século XVIII, sob o patrocí­nio do bispo D. Manuel de Vasconcelos Pereira.

Hoje o Museu de Lamego é uma importante referência no panorama regional, nacional, e mesmo internacional, dada a qualidade e a singularidade de algumas das obras de arte que possui, assumindo especial relevância os objetos classificados em 2006 pelo Estado Português como Tesouros Nacionais: um sarcófago medieval, decorado com uma cena de caça, em baixo-relevo; os painéis que Vasco Fernandes pintou para a Sé de Lamego, entre 1506-1511; o conjunto de tapeçarias flamengas, tecidas em Bruxelas na primeira metade do século XVI, e os painéis de azulejos figurados com cenas bucólicas e de caça, do século XVII.

O Museu de Lamego encontra-se instalado no antigo paço episcopal, num imponente edifício que se situa no largo de Camões, na «baixa» da cidade, onde se concentram diversos edifícios de significado histórico – constituindo a Catedral a norte do edifício o mais importante – e diversas casas solarengas dos séculos XVII e XVIII que albergam atualmente diferentes serviços.

Em frente ao largo de Camões situa-se uma das principais artérias da cidade, que se estende por um jardim e avenida arborizados que culminam no arranque do monte de santo Estêvão, dominado pelo monumental escadório, que faz a ligação do Santuário de Nossa Senhora dos Remédios à cidade.

À direita, situam-se o antigo Seminário Jesus, Maria, Ana, um edifício dos séculos XVIII e XIX que é atualmente propriedade do Exército Português, e o Teatro Ribeiro Conceição, que ocupa um palacete setecentista, que foi Hospital da Misericórdia.



Museu Militar do Porto





O Museu Militar do Porto é uma instituição pertencente ao Exército Português, vocacionada para a preservação da história militar.

 

O edifício principal do Museu Militar do Porto, que hoje alberga parte das coleções do Museu, foi inicialmente concebido para habitação familiar, nos finais do séc. XIX. No entanto, as funções que lhe foram atribuídas pelo Estado Novo, como Delegação da PIDE-DGS, marcaram profundamente as vivências da população do Porto, durante grande parte do séc. XX.

Possui coleções de armamento ligeiro, equipamentos, uniformes e artilharia pesada, abrangendo um período do séc. XVI a meados do séc. XX. De particular interesse é a coleção de miniaturas de soldadinhos que aborda a evolução do guerreiro desde a antiguidade até à época contemporânea.

Museu Municipal de Vouzela





O Museu apresenta uma exposição permanente de arte sacra, para além de um espaço de etnografia. Na sala da arqueologia apresenta peças de cerâmica entre outras. Tem ainda uma Sala do Brinquedo, com diversos brinquedos antigos, entre os quais bonecas de porcelana.



Museu de História e Etnologia da Terra da Maia





O Museu de História e Etnologia da Terra da Maiaé um museu dedicado í s terras da Maia e í s suas povoações. O Museu de História e Etnologia da Terra da Maia encontra-se instalado num edifício que funcionou como Paços do Concelho até 1902, e cujas origens deverão remontar, provavelmente, ao século XVIII.

Funcionou posteriormente como escola primária; sede do Sport Club do Castêlo da Maia; sede da Junta de Freguesia de Santa Maria de Avioso; Posto de Correios e Registo Civil até ao seu encerramento, em 1998, para obras de adaptação a Museu Municipal. No entanto, o projeto de um museu para a Terra da Maia, unidade geográfica administrativa entre o Rio Ave e o Rio Douro, remonta à década de 1960, quando foi instalada uma exposição histórica e arqueológica no claustro da Igreja Conventual de Moreira da Maia, mas somente em 2001 foi inaugurado o Museu de História e Etnologia da Terra da Maia, com uma coleção organizada no âmbito das áreas temáticas da História e da Etnologia.



Museu Municipal Serpa Pinto





Na envolvente ao jardim e com o mesmo nome do ilustre Explorador Cinfanense, o edifício de traça pública e que outrora serviu de Posto da Guarda e Cadeia, foi reorganizado num espaço de promoção e partilha da vida de Serpa Pinto, com interpretação e exposição estática da história e do modo de vida, astuto e corajoso, do Homem que veio a atravessar o continente Africano.

Acolhe de forma permanente duas coleções locais: a investigação arqueológica do Concelho de Cinfães, e a história e vida do General Alexandre Serpa Pinto.

A primeira, reflete um conjunto de peças que têm vindo a ser encontradas em escavações e intervenções no território do Município e que, de forma atrativa e convincente, traduzem os milénios de história de ocupação destas terras: desde os Celtas Pesures (PAESVRI’S), primários, aos Romanos, e a recente evolução da época românica.

A segunda reflete, com orgulho e emoção, a história e vida do heroico explorador durante as expedições a África, com um vasto espólio resultante da aquisição municipal da casa que outrora residia.



  • O que fazer em Museus os 9 melhores locais para visitar


Outros Artigos Populares no Blogue