O que fazer em Portalegre os 10 melhores sitios para visitar na cidade


Ponte de Vila Formosa





A Ponte da Vila Formosa, no Alentejo, localiza-se sobre a ribeira de Seda, na freguesia de Seda, concelho de Alter do Chão, distrito de Portalegre, em Portugal.

Sendo uma construção romana, dos séculos I ou II, manteve até há poucos anos a sua utilização para passagem de automóveis para ligação de Alter do Chão a Chança e Ponte de Sôr, até ser construída uma estrada paralela e outra ponte, sendo este espaço adaptado para Parque de Merendas.

Esta ponte estava integrada na via romana que ligava Lisboa a Mérida (capital da Lusitânia) passando por Ponte de Sor e Alter do Chão.

Compõe-se de 6 arcos de volta perfeita com 33 aduelas todas iguais registando um diâmetro por arco de 8,95 metros. O comprimento total do tabuleiro é de cerca de 117 metros, atingindo na sua altura máxima 8,40 metros.

Classificação Esta ponte está classificada como Monumento Nacional desde 1910.

Localização
A ponte situa-se na antiga estrada que foi substituida pela N369, a meio caminho entre Vale de Açor e Alter do Chão, sobre a ribeira da Seda.



Forte de Santa Luzia em Elvas Alentejo





O Forte de Santa Luzia localiza-se no Alentejo, na cidade e sede de concelho de Elvas, distrito de Portalegre, em Portugal.

Juntamente com o Forte da Piedade, o Forte de São Francisco, o Forte de São Mamede e o Forte de São Pedro, fazia parte da defesa da Praça-Forte de Elvas e integra o complexo Cidade - Quartel Fronteiriça de Elvas e as suas Fortificações - classificado desde o dia 30 de Junho de 2012 como Património Mundial da Humanidade pela UNESCO.

Repetidamente assediado durante a Guerra da Restauração, foi durante o cerco à cidade de Elvas, liderado pelo comandante espanhol D. Luí­s de Haro, em 1658, que se destacou pela sua resistência heroica. O cerco de 1658 precedeu a Batalha das Linhas de Elvas a 14 de Janeiro de 1659.

Em 2014, o Forte de Santa Luzia foi integrado num novo projeto do Ministério da Defesa Nacional, criado com o apoio do Turismo de Portugal, chamado Turismo Militar, que apresenta roteiros históricos baseados em heróis portugueses.

O Forte de Santa Luzia é uma fortificação construída num outeiro a algumas centenas de metros das muralhas seiscentistas, em 1641, durante a Guerras da Restauração.

É um dos melhores e mais genuínos exemplos da arte de fortificar europeia, um dos monumentos militares mais significativos deste período e mais uma obra prima da arquitetura militar de Elvas. A fortificação estaria concluída em 1648 garantindo um valor estratégico extremo para a cidade.É constituída por quatro baluartes com um reduto quadrangular ao centro onde se encontram a casa do governador, a igreja e uma casa abobadada à prova de bomba. Tem várias casernas e duas cisternas que abasteceriam trezentos a quatrocentos homens durante dois a três meses.O Forte de Santa Luzia esteve sempre pronto para o combate, sendo alvo de vários assédios e vendo-se envolvido em várias ações militares, desde o cerco do marquês de Torrecusa, em 1644, até ao século XIX. Na Batalha das Linhas de Elvas em 1659 e no cerco que a antecedeu, o Forte de Santa Luzia teve uma posição fulcral devido à resistência heroica dos seus homens.Entre 1999 e 2000 decorreram aqui obras para adaptação do monumento a Museu Militar, onde o visitante pode verificar toda a história militar da cidade bem como vários artefactos de guerra que marcaram as várias épocas.



Museu militar de Elvas Alentejo





Fruto da reestruturação do Exército, no ano de 2006, foi extinto o Regimento de Infantaria nº 8 (última unidade militar que ocupou as instalações) e, no mesmo espaço físico, foi criado um museu que permite mostrar parte do acervo museológico e patrimonial do Exército Português.

É um dos maiores museus do País, onde o visitante pode ver, para além da monumentalidade das fortificações e muralha, dos Quartéis do Casarão, do claustro do Convento de São Domingos e da Fonte de São José, todo um conjunto de elementos de interesse: História do Serviço de Saúde do Exército; Hipomóveis e Arreios Militares no Exército; Centro de Interpretação do Património de Elvas; Viaturas do Exército.

Todas estas salas são antigas dependências das unidades militares que passaram por Elvas – a última foi o Regimento de Infantaria nº 8 – adaptadas agora a esta finalidade e que agora se procurou, dentro do possível, recuperar na sua traça original.

Inaugurado oficialmente em 29 de outubro de 2009, o Museu Militar de Elvas constitui-se como o museu de maior área de implantação de Portugal (150.000m2 de área total) e alberga as coleções militares do Exército: Arreios, Serviço de Saúde, Transmissões, Viaturas Militares do Exército, Hipomóvel, Peças de Artilharia desde os meados do século XIX. Integra também o Centro Interpretativo do Património de Elvas, além da monumentalidade das suas fortificações, dos Quarteis do Casarão e a Fonte de São José.



Convento de São Bernardo (Portalegre)





O Mosteiro de Nossa Senhora da Conceição de Monjas da Ordem de Cister, mais conhecido como Mosteiro ou Convento de São Bernardo, localiza-se na freguesia de São Lourenço, na cidade e concelho de Portalegre, distrito de mesmo nome, em Portugal.

Convento de São Bernardo da Ordem de Cister, também conhecido como Mosteiro de Nossa Senhora da Conceição, foi fundado pelo Bispo da Guarda D.Jorge de Melo em 1518.

O portal é clássico do ano de 1538. O corpo da nave e o transepto são cobertos por abóbadas de nervuras. As paredes ostentam azulejos historiados barrocos, datados de 1739.



Sé de Portalegre





A Sé de Portalegre localiza-se na freguesia da Sé, cidade e concelho de Portalegre, no distrito de mesmo nome, em Portugal.

O bispado de Portalegre foi criado em 1550 por bula do Papa Júlio III, sendo esta uma das três novas dioceses criadas no reinado de D. João III. O primeiro prelado a ser nomeado para o cargo de bispo da nova diocese foi D. Julião de Alva, confessor da rainha D. Catarina. Nos primeiros anos a sede de bispado ficaria instalada na Igreja de Santa Maria do Castelo, uma vez que as obras da nova catedral iniciavam-se só em 1556. A

té ao final da centúria as obras de edificação iriam continuar, tendo sido o terceiro bispo da diocese, Frei Amador Arrais, doutor em Teologia e um dos humanistas do círculo do Cardeal D. Henrique, quem procedeu à colocação do pavimento do templo e à construção do paço episcopal, tendo patrocinado a pintura de grande parte dos retábulos maneiristas colocados nas capelas da igreja. A edificação foi concluída já no início do século XVII. Na centúria seguinte o edifício foi acrescentado e modificado, tendo sido edificado o claustro no ano de 1720.



Museu de Arte Contemporânea de Elvas





Museu de Arte Contemporânea de Elvas (MACE) é um museu de artes contemporânea portuguesa inaugurado a 6 de julho de 2007, situando-se na cidade de Elvas.

Instalado no edifí­cio do Antigo Hospital da Misericórdia que mais tarde passou a ser chamado Hospital Distrital de Elvas, o edifí­cio sofreu profundas obras de reparação e oferece neste momento magní­ficas condições para acolher as obras que lá se encontram bem como quem o visite. Destaca-se a cafetaria no último piso do Museu onde se tem uma vista magní­fica sobre a Cidade de Elvas.

O acervo deste museu é composto por obras pertencentes à colecção de António Cachola (1949 - presente). Destaca-se uma obra internacionalmente conhecida de nome

O Museu de Arte Contemporânea de Elvas (MACE) foi inaugurado no ano de 2007, tendo como tutela a Câmara Municipal de Elvas, com a missão de elevar a oferta cultural da cidade e estabelecer um diálogo regional e transfronteiriço, nacional e internacional respondendo às exigências que a arte e a cultura de hoje impõem.

O Museu alberga em depósito a coleção António Cachola, uma coleção privada que foi colocada ao serviço da população local e global. A coleção é exclusivamente nacional e não tem limites disciplinares, temáticos ou estéticos e é balizada cronologicamente pelos anos 80 até à atualidade.





Villa Lusitano-Romana de Torre de Palma Évora





A Villa Romana de Torre de Palma situa-se a cerca de 5 Km de Monforte, na herdade de Torre de Palma. Trata-se de uma vasta vila romana que de certo modo pertenceu a uma poderosa famí­lia Romana, os Basí­lios, nome é conhecido através de uma inscrição encontrada no local, construí­ram uma majestosa residência, aí­ se fixando permanentemente possivelmente desde o século II até o IV.



Casa - Museu José Régio





A Casa Museu José Régio em Portalegre é um museu que está instalado na casa onde o viveu o escritor José Régio durante 34 anos. É um museu simultaneamente biográfico e etnográfico, pois além de escritor, Régio era um ávido coleccionador.

 

A casa onde o poeta José Régio (1901-1969) viveu enquanto foi professor em Portalegre, foi transformada em museu em 1971, por iniciativa da Câmara Municipal. Com o interior inalterado, seguindo o desejo do poeta, apresenta ao público uma rica colecção de arte sacra e popular da região, que foi reunindo ao longo da sua vida.De todas as peças merece destaque a invulgar colecção de mais de 400 imagens de Cristo Crucificado, sendo a mais antiga datada do séc. XV (estilo gótico). Podem-se ainda ver alminhas, oratórios, ex-votos e outras expressões populares religiosas, assim como peças relembrando os ofícios tradicionais como o trabalho da cortiça e do ferro forjado.



Castelo de Alter do Chão





O Castelo de Alter do Chão, no Alentejo, localiza-se na freguesia de Alter do Chão, na vila e concelho de mesmo nome, distrito de Portalegre, em Portugal.

No centro histórico da vila, este castelo é representativo da arquitetura medieval trecentista, quando cooperava com o vizinho Castelo de Alter Pedroso na defesa desta região.



Castelo de Alegrete em Portalegre





O Castelo de Alegrete localiza-se na freguesia de Alegrete, concelho de Portalegre, no distrito de mesmo nome, em Portugal.

Estrategicamente postada, constituiu-se numa das mais importantes fortificações do Alto Alentejo raiano, peça fundamental no sistema defensivo da região na Idade Média. Atualmente, apresenta potencial para constituir-se em importante pólo de atração turí­stica para uma região que se ressente da sua interioridade.



  • O que fazer em Portalegre os 10 melhores sitios para visitar na cidade


Outros Artigos Populares no Blogue