Praia de Monte Clrigo Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina





A Praia de Monte Clérigo é uma praia no concelho de Aljezur, no Algarve, em Portugal. Faz parte do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina. Dista cerca 9km da sede do concelho, sendo uma das mais conhecidas e frequentadas da região. É comprida com uma água limpa e fresca. Rochas de grandes dimensão com caranguejos.

Com uma extensão muito grande de areal para o lado norte e com uma extensa parte rochosa a sul, local onde se pode observar diversa vida marinha na baixa-mar desde estrelas-do-mar, caranguejos, camarões, lapas e polvos nas fendas das rochas,vários cardumes juvenis de peixe também é possí­vel ver principalmente de sargos. Há uma parte onde se forma uma pequena lagoa onde se pode encontrar peixes-aranhas há que ter muito cuidado.

Esta praia é boa para as crianças e também adultos, pois com maré muito baixa formam-se muitas piscinas. Apesar de esta praia ser algo aberta aos ventos vindos do norte e oeste, nos sues topos já muito abrigados.Entre a estrada e o mar existe um vasto campo dunar. Junto à praia lado sul, existe uma povoação pequena que serve sobretudo a época balneária.

Também muito procurada pelos desportos radicais que proporciona, existem escolas de surf.

O acesso à praia pelo lado norte proporcionamos uma das mais belas vistas panorâmicas que se pode observar em praias de Aljezur. O acesso a esta praia faz-se, na entrada sul de Aljezur, estrada nacional 120, a cerca de 7km deste cruzamento fica a praia. A orientação é noroeste.

Localizada a sul da Praia da Amoreira, tem um vasto areal para norte e uma interessante plataforma rochosa no extremo sul, onde na baixa-mar se podem observar poças de maré com diversos organismos marinhos, como anémonas, actínias, pequenas medusas, burriés, mexilhões, lapas, ouriços-do-mar, estrelas-do-mar, camarões e caranguejos.

As poças são ainda o habitat de pequenos peixes como os cabozes e os blénios, ou o habitat temporário de pequenos peixes costeiros, como linguados, sargos e robalos juvenis, que aqui procuram refúgio e alimento. Estes pequenos peixes constituem o alimento de aves marinhas como as gaivotas e os pilritos ou mesmo garças e guarda-rios, que diariamente visitam as poças de maré com esse intuito.São características ainda desta praia os imponentes recortes das arribas em xisto e grauvaques, nomeadamente a Ponta da Rocha e o Penduradouro.  

Para o interior encontram-se imponentes campos dunares, que ladeiam um bonito vale associado a uma linha de água, só existente no inverno. A descida para a praia proporciona uma fabulosa vista panorâmica, sobressaindo na encosta o pequeno núcleo de casinhas típicas de veraneio.



Praia da Bordeira Aljezur Algarve





A praia da Bordeira fica localizada na Costa Vicentina, no Algarve junto a duas aldeias, Bordeira e Carrapateira, no concelho de Aljezur.

Apesar de a praia de ficar mais perto da aldeia da Carrapateira do que da aldeia da Bordeira, dão-lhe o nome de praia da Bordeira, devido ao facto de a ribeira da Bordeira desaguar nessa praia.

É uma praia caracterizada pelo seu longo areal e pelas suas belas dunas.

Esta praia é muito frequentada por surfistas e por pessoas que procuram umas férias longe da confusão das restantes praias algarvias. O acesso pedonal é fácil.

Constituindo-se como a praia mais extensa do concelho de Aljezur, com um areal de cerca de 3 km, a Praia da Bordeira situa-se a norte da Carrapateira, junto à foz da Ribeira da Bordeira, daí o seu nome. Tem uma elevada qualidade paisagística, conferida, quer pelas altas arribas que a limitam nas extremidades norte (xisto) e sul (formações rochosas do Jurássico), quer pelos arenitos de Silves, quer ainda a nascente pela ribeira da Bordeira e pelo sistema dunar.

Bastante dinâmico, este sistema resulta dos fortes ventos do quadrante noroeste e está muito bem preservado no que se refere aos diferentes habitats que se desenvolvem ao longo dos diferentes níveis dunares. Observa-se na duna primária uma comunidade considerável de Tammophila arenaria, que desempenha um papel fundamental na fixação das areias.

O último nível dunar, constituído por dunas terciárias, é habitat prioritário caracterizado pela presença de várias espécies arbustivas, das quais se destacam os Thymus e a Armeria.Esta, é uma praia muito procurada para a prática de desportos náuticos, nomeadamente o kitesurf, devido à constância e intensidade dos ventos dominantes e à formação das ondas.COMO CHEGAR: Após ter deixado a vila de Aljezur, cerca de 6 Km a Sul encontra um entroncamento à direita com sinalização indicando as direcções de Sagres, Vila do Bispo, Carrapateira e Bordeira. Tome essa direcção e percorridos cerca de 12 Km encontrará a aldeia da Bordeira à sua esquerda. Continue por mais 5 Km até à entrada da aldeia da Carrapateira. Aí volte na primeira bifurcação à direita e siga por essa estrada até à Praia da Bordeira.



Praia da Carreagem no Parque Natural do Sudoeste Alentejano Costa Vicentina





A Praia da Carreagem, por vezes escrito Praia da Carriagem, é uma praia situada no concelho de Aljezur nas proximidades do Rogil e faz parte do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina. Esta praia da Costa Vicentina é pouco frequentada e tem acesso por escadas (descida í­ngreme), mas não tem vigilância ou estruturas de apoio. Oferece a possibilidade de observação de uma grande variedade da flora e fauna marí­timas do Parque Natural.

A Praia da Carriagem, com pouco areal e, em sua substituição, cascalho, exibe interessantes formações rochosas. No extremo norte da praia, aquando da maré baixa, é possível observar-se um curioso anfiteatro natural talhado em xisto. Muito procurada por pescadores, é também excelente para um diferente passeio à beira mar, oferecendo um cenário magnífico. COMO CHEGAR: No Rogil, sensivelmente a meio desse aglomerado urbano que se estende ao longo da EN 120, encontra sinalização indicando as Praias de Vale dos Homens e da Carriagem. Para a Praia da Carriagem o caminho é em terra batida. Este bifurca-se passados cerca de 2 km, depois de deixar o Rogil, pelo que deverá seguir pela direita, em direcção ao mar. Chegará a um pequeno parque de estacionamento no topo da arriba. A partir daí a descida para a praia faz-se a pé por um carreiro difícil.



Praia do Amado





Perto do Amado h uma pedra denominada de a Pedra do Cavaleiro que se ergue por entre as ondas. Entre o Amado e a praia da Bordeira fica a formao rochosa do Pontal, rodeado de altas arribas e pequenas enseadas. Esta praia vigiada e tambm tem uma pequena escolha de bares e restaurantes.

Praia da Amoreira





Esta uma praia muito calma e pouco frequentada, tal como a sua vizinha mais a Sul, a praia de Monte Clrigo. H bastantes opes de restaurao na rea como tambm um parque de estacionamento e vigiada durante o vero.

Castelo de Arrifana na vila de Aljezur





O Castelo de Arrifana, também denominado como Forte da Arrifana, no Algarve, localiza-se na vila de Aljezur, Distrito de Faro, em Portugal.

Vestígios do passado pré-histórico atestam a importância deste concelho para povos como os mirenses (7000 anos a.C. – final da Idade Glaciária). Sendo povos nómadas, caçadores/recolectores, caçavam e apanhavam mariscos do mar com os seus machados rudimentares, assim como escavavam a terra à procura de tubérculos ou raízes, constituindo esta a base da sua alimentação.

Também da pré-história surgem vestígios atribuídos ao período Neolítico Final/Calcolítico (3000-2500 anos a.C.) e à Idade do Bronze (1200-900/800 anos a.C.). No entanto, é do período islâmico (séculos X-XIII) que se reserva o maior esplendor arqueológico do concelho de Aljezur, comprovado por escavações arqueológicas levadas a efeito quer no Castelo de Aljezur, na Ponta da Atalaia (Ribat da Arrifana), na Ponta do Castelo - Carrapateira, na Igreja Nova – Aljezur ou em Alcaria.

Aljezur foi fundada no séc. X pelos Árabes, que permaneceram longo tempo na região, deixando costumes e tradições que se mantiveram após a Reconquista Cristã e chegaram aos nossos dias. 

Em um trecho do litoral atlântico em geral hostil à fundeação, destacam-se a angra de Arrifana, juntamente com Odeceixe, o canal entre a ilha do Pessegueiro e a costa, e a baí­a de Sines. A praia, entre falésias de xisto cinzento e calcário branco ou dourado, erodidas pelos ventos e pelas ondas, inscreve-se na região turí­stica do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina.



Praia da Samouqueira Aljezur Algarve





Pequenas praias rochosas, essencialmente de calhau, zonas de pescadores e mariscadores. Ideais para a observação da natureza, designadamente, aqui é possível observarem-se poças de maré, na baixa-mar, onde se encontram diversos organismos marinhos, como ouriços, burgaus, lapas, mexilhão e, nas rochas mais distantes, durante a baixa-mar na zona intertidal, os famosos percebes.Na Samouqueira é evidente o desprendimento da arriba, existindo mesmo um fosso fundo, pelo que se aconselha evitar toda a faixa junto à arriba.COMO CHEGAR: No Rogil, vire em direcção a Esteveira, percorrendo essa estrada municipal até ao final do alcatrão. Aí chegado continue em frente, agora por caminho em terra batida. Alguns metros à frente o caminho bifurca-se, continuando pela esquerda, até ao final. No total são cerca de 4 km, deste o cruzamento da EN 120 no Rogil até à Samouqueira.

A Praia da Samouqueira é a última de uma sequência de areais encravados nas rochas, com acesso difícil e grande beleza natural como a Vieirinha, a Oliveirinha, a Foz e o Burrinho.Rodeada por falésias, mas com acesso facilitado pela escada escavada na rocha, a Praia da Samouqueira conserva grutas de grande beleza, que se podem explorar na maré baixa, e oferece boas condições para a prática de mergulho.

 

Praia da Arrifana Aljezur Algarve





Arrifana é uma praia portuguesa, situada junto da localidade homónima, no concelho algarvio de Aljezur. Localizada na pequena povoação piscatória da Arrifana, esta praia insere-se numa zona de elevada importância ecológica e rara beleza natural, desenvolvendo-se num areal com mais de meio quilómetro de extensão.

Protegida por altas arribas xistosas, forma uma espécie de pequena baía, sendo por isso a praia menos batida pelo vento e pela forte rebentação das ondas.No topo sul desta praia marca presença uma negra e enorme rocha vertical no mar, a fazer lembrar uma estátua gigantesca, aqui denominada de “Pedra da Agulha”, que se tornou um ícone da costa sudoeste.

Nas arribas que envolvem a praia, encontram-se habitats prioritários, como formações de Cistus palhinhae em charneca marítima, espécie de flora com estatuto de ameaça vulnerável e endemismo ibérico. Estas arribas constituem também zona de nidificação para diversas espécies de avifauna, sendo uma das espécies mais comuns a Cegonha-branca (Ciconia ciconia).

Em situação única no mundo, é aqui que encontramos os seus ninhos sobre as arribas marítimas ou em rochedos junto à costa - os palheirões.

A norte da praia, junto à Fortaleza da Arrifana desfruta-se das mais belas panorâmicas da Costa Vicentina. Mais a norte, na Ponta da Atalaia, famosa pelos seus percebes, existem vestígios do maior Ribat muçulmano da Península Ibérica, um convento-fortaleza de grande valor arqueológico.É considerada excelente para a prática de desportos náuticos, como o mergulho, o surf ou o bodyboard, sendo muito procurada para a prática destas duas últimas modalidades.

A época do surf começa assim que termina a época estival, tornando-se num paraíso para os surfistas.Na povoação da Arrifana, que se desenvolve ao longo da encosta, existem apoios como restaurantes e cafés, onde é possível degustar a gastronomia local, onde o peixe sempre fresco está presente, assim como os mariscos desta costa, como os tão apreciados percebes.GALARDÕES: Bandeira AzulCOMO CHEGAR: Tal como para a Praia do Monte Clérigo, siga a sinalização que encontra à direita a escassos metros após a saída sul da vila de Aljezur. No final da subida, volte à esquerda para a Praia da Arrifana.



Esta praia nasce numa bonita enseada em forma de concha, abrigada da fria nortada e das ondulações de norte, associada a uma pequena povoação de pescadores. O areal é extenso, com mais de 700 metros, mas estreito, e encontra-se marginado por imponentes arribas negras, talhadas em xisto



Praia do Amado Aljezur





A Praia do Amado é uma praia situada junto da localidade da Carrapateira, freguesia da Bordeira no concelho algarvio de Aljezur, em Portugal. Faz parte do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina.

É uma praia grande com um areal isolado e tranquilo que recebe milhares de visitas por ano, não só de turistas de outros paí­ses mas como também de turistas nacionais. O Amado é muito conhecido pelas suas ondas reduzido tamanho quando comparadas com as praias da zona da Ericeira e de Peniche, versáteis e diversificadas, por isso também muito procuradas pelos desportos radicais que proporciona, já foi palco de várias provas para principiantes de surf e bodyboard. É uma praia com presença humana ao longo do ano pois existem escolas de surf e bodyboard para iniciados.

Esta praia tem sido usualmente palco para a realização de campismo selvagem e caravanismo, o que sem a presença de suporte para este tipo de práticas tem originado um contí­nuo despejo de águas cinzentas e de lixo para a zona balnear da praia, pois as necessidades básicas de higiene das pessoas em campismo e caravanismo selvagem são realizadas na própria zona balnear (no mar). Desta forma, a realização deste tipo de práticas selvagens ao longo dos anos tem originado uma diminuição drástica da fauna e flora que constituem a extrema beleza natural da praia.

O acesso a esta praia pode-se fazer por dois locais, a norte desde a Praia da Bordeira, seguindo para sul através da maravilhosa arriba, estrada em terra batida com cerca de 0,5 Km. Este pequeno percurso é de uma beleza cénica arrebatadora, principalmente no sí­tio do Pontal. O outro acesso dá-se a sul da Carrapateira, e dista da praia 2 Km.

A Praia do Amado é a praia mais a sul do concelho de Aljezur e localiza-se perto da aldeia da Carrapateira. Apresenta um extenso areal delimitado a sul e a norte por altas arribas que entram pelo mar. No limite norte desta praia surge o Pontal da Carrapateira, uma plataforma rochosa de elevado valor ambiental, apresentando habitats prioritários para a conservação da natureza a nível europeu. Além da qualidade cénica, a Praia do Amado é muito rica do ponto de vista geológico, verificando-se rochas sedimentares, metamórficas e de origem vulcânica (xistos, calcários, doleritos). 

Considerada uma das melhores praias portuguesas para o surf, é um dos principais spots da Europa para esta modalidade desportiva.Tendo em conta as características da plataforma continental, aliando-se às características da ondulação e dos ventos dominantes, esta praia propicia ondas ideais. Palco de diversas competições nacionais e internacionais é muito popular ao longo do ano, pois nem só os mais experientes aqui vêm. Várias são as empresas de animação turística e escolas de surf e bodyboard que aqui ensinam a praticar estas modalidades, com uma oferta variada de aulas e programas de férias, usufruindo das excelentes condições naturais que esta costa encerra.COMO CHEGAR: Logo à saída da aldeia, no sentido Carrapateira-Sagres, encontra um desvio à direita para a Praia do Amado. Siga por essa estrada asfaltada que o leva até à praia, ao longo de cerca de 3 Km.



Turismo em Portugal

Explora restaurantes museus hoteis e muito mais em Portugal