15 Melhores Coisas para fazer e visitar em Tomar


A cidade de Tomar foi fundada pelos Cavaleiros Templários no século XII em terra concedida pelo primeiro rei de Portugal. A ordem montou um convento em uma colina e à margem do rio, traçando o que seria a última cidade templária no mundo. O Convento de Cristo é um Patrimônio da Humanidade, com magnífica arquitetura aperfeiçoada ao longo de mais de 300 anos.

Quando a Ordem de Cristo tomou o lugar dos Cavaleiros Templários, Tomar foi o local onde muitas viagens portuguesas na Era dos Descobrimentos foram planejadas. E como governador da ordem, o explorador de mudança de mundo Henry the Navigator viveu em Tomar e assumiu a sua expansão no século XV.

Vamos explorar as melhores coisas para fazer em Tomar :

1. Convento de Cristo

 

No século XII, D. Afonso Henriques doou a região em torno de Tomar aos Cavaleiros Templários e fundou um convento famoso pela sua igreja redonda.

Este site da UNESCO é indispensável, tanto para o que você pode ver quanto para o que ele representa.

Está separado da moderna cidade de Tomar, muito acima da cidade e do rio Nabão, num promontório, e defendido por um castelo e muralhas.

Há arquitetura gótica, manuelina e renascentista na igreja, capela e claustro que te deixarão fascinado.

Quando os Cavaleiros Templários foram dissolvidos no século XIV, a Ordem de Cristo substituiu-o e usou sua enorme riqueza para financiar viagens na Era dos Descobrimentos.

2. Castelo de Tomar

 

No mesmo complexo está o castelo dos Templários protegendo o convento.

Isto tem uma cortina de paredes e torres, tudo ainda adornado com a Cruz de Malta e outros símbolos mais arcanos.

Na altura da Reconquista, no século XII, o castelo situava-se na Linha do Tejo, uma linha horizontal de castelos na frente entre o futuro Português ao norte e o mouro ao sul.

É difícil não ficar impressionado com a escala e a preservação dessa estrutura, apesar do dano que causou quando as tropas de Napoleão foram posicionadas aqui nas Guerras Peninsulares.

Há remanescentes românicos, góticos e renascentistas, e cada ponto de interesse é rotulado com um sinal.

 

3. Aqueduto dos Pegões

 

O Convento da Ordem de Cristo precisava de um suprimento de água, e a resposta foi construir este magnífico aqueduto de seis quilômetros para conduzir a água das quatro nascentes de Pegões.

O projeto começou na década de 1590 e foi planejado pelo arquiteto militar italiano Filipe Terzio, contratado pela coroa portuguesa.

O trabalho continuaria por 21 anos, e Terzio não viveria para vê-lo concluído.

O aqueduto é mais impressionante quando atravessa o íngreme Vale da Ribeira dos Pegões, com duas fileiras de arcos (ogival embaixo, redondo no topo) atingindo uma altura máxima de 30 metros.

Se você for corajoso o suficiente, você pode até caminhar ao longo do canal no topo.

4. Sinagoga de Tomar

 

Andando pela calçada da rua Dr. Joaquim Jacinto, você não saberia que a sinagoga estava ali, a não ser uma discreta estrela de Davi.

O interior tem altas abóbadas nascidas por meio de mísulas e quatro colunas com motivos foliáceos.

Esta maçonaria tem um significado simbólico, pois as colunas representam as quatro Matriarcas, e os mísulas são para as Doze Tribos de Israel.

A sinagoga foi fundada em meados do século XV, mas não foi usada por muito mais de 50 anos, pois os judeus foram expulsos ou forçados a se converterem por D. Manuel I no final de 1400.

Desde 1939 foi restaurado e abriga o Museu Judaico de Tomar.

5. Igreja de São João Batista

 

O coração espiritual e físico da antiga Tomar esta igreja subiu no final do século 15, durante o reinado de Manuel I. Esta época é conhecida pela sua escultura exuberante, e a igreja é decorada com um portal glorioso com pedra incrivelmente intrincada trabalhada por um artista francês desconhecido.

Você também precisa conferir os azulejos no interior, que têm padrões de ponta de diamante do século XVI com um efeito trompe loeil.

Há também algumas pinturas excepcionais, como a Última Ceia pelo mestre renascentista português Gregório Lopes.

 

6. Cidade Velha

 

Uma das muitas coisas legais de Tomar é que era uma cidade planejada.

O bairro mais antigo segue um sistema rígido de grade traçado pelo Cavaleiro Templário no século XII.

Ainda mais intrigante é que segue a forma de uma cruz de quatro braços, com cada um desses braços apontando para um dos conventos da cidade.

Mas esse não é o único exemplo da geometria sagrada; a Igreja de São João Batista está no centro de um círculo perfeito, alinhando vários oratórios e conventos para formar o “espaço sagrado” em que Tomar foi construído.

7. Praça da República

 

Se você precisa de um lugar para mergulhar e começar um passeio pela cidade, faça essa praça em frente à Igreja de São João Batista.

A prefeitura maneirista do século XVI fica em frente à igreja e é muito fotogênica, com calçada portuguesa, uma estátua do Cavaleiro Templário e do fundador de Tomar, Gualdim Pais em primeiro plano, e as paredes do castelo como pano de fundo.

Se você examinar de perto a fachada da prefeitura, poderá ver algumas sugestões de decoração manuelina, na esfera armilar, que era o emblema pessoal de D. Manuel I.

8. Ermida de Nossa Senhora da Conceição

 

Este eremitério foi construído em uma elevação perto do Convento de Cristo em meados do século XVI.

Apesar de seu tamanho modesto, é visto como um dos mais puros exemplos da arquitetura renascentista em Portugal.

A capela foi na verdade destinada a ser o panteão do rei João III, um propósito nunca cumprido.

Não tem nenhuma decoração extravagante de igrejas portuguesas posteriores e é planejada como uma basílica clássica com uma abóbada de berço erguida por colunas coríntias e com pilastras jônicas nas paredes.

Há muitas aberturas que permitem a entrada de muita luz na igreja, através de uma luneta acima do portal e janelas com chumbo nas paredes cobertas com frontões reais.

9. Mata Nacional dos Sete Montes

 

Este parque é a divisa entre o Convento de Cristo e o antigo Tomar.

É uma maneira agradável de caminhar até o convento, e você fará a subida íngreme, mas muito bonita, através de bosques de carvalho e cedro.

Os alcances inferiores são grandes terraços com sebes cuidadosamente cuidadas em formas geométricas, topiaries, fontes e vasos de pedra clássicos.

Nos dias dos Cavaleiros Templários e da Ordem de Cristo, os ritos de iniciação aconteceriam neste parque, enquanto as encostas estavam cheias de pomares e hortas.

Tente encontrar a Charolinha, uma mini-réplica do convento, projetada no século XVI pelo João de Castilho, o maior arquiteto do período.

10. Igreja de Santa Maria dos Olivais

 

Outro ponto obrigatório na trilha dos Cavaleiros Templários é a igreja do século XII, que foi a sede da Ordem em Portugal e foi o panteão dos Grandes Mestres da Ordem.

Ao longo do século XIII, 22 Grandes Mestres foram enterrados aqui, e você pode ver seus nomes em uma laje comemorativa.

E embora a arquitetura seja bastante subestimada, tem um significado secreto: O número oito, importante para os Templários, é repetido várias vezes, na quantidade de janelas, número de degraus na escada e número de colunas na nave.

A igreja fica a poucos passos do centro de Tomar, na margem oposta do Nabão.

 

11. Castelo do Bode

 

Há uma barragem no rio Zêzere a cerca de 15 minutos do sul de Tomar, formando um lago de 3300 hectares.

A estrutura em si é imensa, subindo para 115 metros e alimentando uma usina hidrelétrica de 138 MW.

Uma estrada atravessa o topo da represa, e há um espaço para estacionar para contemplar o vale.

E quanto a esse lago, é um reservatório de água para Lisboa, mas também um cenário tranquilo, se você precisar se refrescar no verão.

A costa sul tem um parque de campismo em pinhal, com uma pequena praia e zona de piscina.

Ou você também pode fazer uma trilha na mata para ter uma visão melhor da represa desde sua base.

12. Anta do Vale da Laje

 

Para um desvio quando estiver a visitar o Castelo do Bode, dirija-se à margem do lago até este local megalítico.

Foi declarado o monumento funerário mais antigo a norte do rio Tejo, com mais de 7.500 anos de história.

Há uma câmara composta de cinco lajes de granito que você alcança ao longo de um corredor estreito com paredes de pedras menores.

Lá fora há pátios com o que se acredita ter sido um altar circular.

O site foi recentemente feito um pouco mais acessível, com alguns dos recortes da floresta invasores e novas placas de interpretação instaladas.

13. Museu dos Fósforos

 

Tomar tem um museu muito peculiar e combustível, instalado no Convento de São Francisco.

Isto é para jogos, caixas de fósforos e caixas de fósforos, reunidos em todo o mundo e em todos os tamanhos imagináveis.

Um exemplo belga tem correspondências de 40 centímetros de comprimento.

Há um cheiro de nostalgia a esta atração, com a maior parte das exposições que datam de meados do século 20, quando fumar era a norma.

Há livros especiais marcando eventos como a coroação da rainha Elizabeth II ou a URSS enviando Yuri Gagarin ao espaço.

O que é surpreendente é que todas essas peças foram coletadas por apenas um homem, Aquiles da Mota Lima, que doou para a cidade em 1980.

14. Festa dos Tabuleiros

 

Este festival acontece apenas uma vez a cada quatro anos, e a última edição foi em 2015. As pessoas percorrem um longo caminho para a ocasião, que parece nenhuma outra celebração pública em Portugal.

A Festa dos Tabuleiros acontece nas primeiras semanas de julho e os desfiles são os eventos mais atraentes.

Aqui, garotas jovens usarão toucados parecidos com pilares, conhecidos como tabuleiros.

Estes são absurdamente altos e têm pilhas de pão amarrados juntos, enfeitados com flores e cobertos com uma pomba ou esfera armilar e uma cruz templária.

Esta tradição remonta aos anos 1200 e carregada de significado religioso.

15. Doces

 

Numa cidadezinha como Tomar há várias preparações doces que têm o ovo como ingrediente principal.

Nos tempos medievais, os conventos tinham um excedente de ovos, pois as pessoas os doavam para dar sorte quando estavam prestes a se casar.

As Fatias de Tomar são feitas apenas com gemas e açúcar, cozidas numa panela especial que só é vendida nesta cidade.

Ele sai como uma espécie de pudim que é cortado em fatias e aromatizado com canela, anis ou limão.

Você pode comprar este tratamento em potes lindamente decorados para levar para casa.

Os Beija-me depressa também estão derretendo os doces, p

  • 15 Melhores Coisas para fazer e visitar em Tomar


Outros Artigos Populares no Blogue