ntegrada no Parque Natural da Ria Formosa, a Ilha da Culatra é uma das ilhas-barreira que separam o mar da Ria. Sendo apenas acessível por barco a partir de Olhão, não se encontram aqui veículos motorizados, reinando a paz e tranquilidade num ambiente propício a quem pretende descansar num areal espaçoso, banhado por um mar calmo. As suas águas transparentes proporcionam uma visibilidade de cerca de 15 metros, ideal para os praticantes de mergulho. 

Na Culatra, antiga povoação piscatória, encontram-se alguns restaurantes especializados no famoso arroz de lingueirão ou na caldeirada, que mistura as muitas variedades de peixe que aqui abundam.

 



Ilha da Culatra é uma ilha portuguesa situada na Ria Formosa, no Algarve, em frente a Olhão, embora pertença administrativamente ao município de Faro (União das Freguesias de Faro (Sé e São Pedro)). Faz parte do conjunto de ilhas barreira que delimitam a Ria Formosa. Tem três núcleos populacionais: Culatra, maioritariamente habitado por pescadores mas também por alguns turistas no Verão; Hangares; e Farol, ocupada principalmente no Verão por turistas. A ilha tem uma costa de alguns quilómetros de praia, sendo a área da Culatra mais frequentada.

Em 1918, por ocasião da 1ª Guerra Mundial começou a ser construído na ilha um Centro de Aviação Navalvocacionado para a luta anti-submarina. Apesar de parcialmente construído e utilizado, com o fim da guerra o centro nunca foi oficialmente activado, sendo as suas instalações utilizadas como infra-estuturas de apoio a um campo de tiro da marinha ali instalado.

 

A zona ocidental da ilha, também é conhecida como Ilha do Farol. O farol que guia os barcos dá o nome à Praia do Farol. O acesso à ilha é de barco de Faro (apenas durante a época de Verão) e Olhão (durante todo o ano) e tem infra-estruturas básicas. A pequena povoação na ilha consiste de casas de pescadores e alojamento para férias, virados para a ria.