A hoteleira Grace Leo Andrieu, nascida em Paris e educada nos Estados Unidos, tem o talento de transformar as orelhas das porcas em bolsas de seda. Prova da sua maestria no astuto colírio para os olhos é o Bairro Alto Hotel, com 55 quartos, em Lisboa, que é uma reinvenção do antigo Hotel Europa no Barrio Alto, o equivalente boémio da Greenwich Village ou Saint Germain des Prés. . O edifício original de 1845 recebeu uma elegante renovação com paredes amarelas em forma de copo de manteiga e guarnições marrom e bordeaux, e, entrando na recepção, o discreto balcão da recepção fica ao lado do restaurante de vestes que abriga o chef Henrique Sá Pessoa, treinado pelo Nobu-Londres. No andar de cima, os quartos são pequenos, mas lidos como aconchegantes, bonitos e bem projetados, e apesar do barulho distante do trânsito - a histórica Praça Luís de Camões é uma das mais movimentadas dobradiças de Lisboa - este lugar é todo sobre o prazer de um ambiente bonito e uma localização perfeita. Há um pequeno, mas bem equipado centro de fitness no 5º andar, e um delicioso e desesperadamente romântico terraço com vista deslumbrante sobre o Taugus no 6º andar, além de um bar de três níveis ao lado do lobby com um DJ pulando que gira as músicas de Lisboa para Maputo, Rio e além. Pessoal surpreendentemente bonito cai sobre si mesmo tentando agradar, e a estética bem pesquisada deste lugar - um híbrido inteligente de referências coloniais portuguesas, ou seja, padrões indianos, tons indígenas suaves de açafrão, azul, ocre e marfim, e mão azulejos pintados (do Marrocos) nas casas de banho tece um charme que você só poderia estar em Lisboa.