Uma vila pequena e quadrada chamada Comporta, na península de Tróia de Portugal, lembra nosso escritor da Ilha Branca, mas com preços baixos e sem multidões

A UMAhora de Lisboa a oeste da principal estrada A2 que leva as multidões que procuram o sol do Algarve

A Comporta é uma aldeia na península de Tróia, com areia a perder de vista ao norte da região alentejana de Portugal. Senta-se no calcanhar da península, no extremo sul do largo estuário do Sado, intercalado entre floresta densa e o Atlântico. A vila é adorável e tem lugares acessíveis para ficar.

Passeio pelo calçadão de madeira e sinto como se eu tivesse tropeçado na Ilha Branca. Antes de mim, uma praia quente resfriada resplandece com guarda-chuvas de palmeiras, espreguiçadeiras e dois cafés de praia, onde as pessoas se encontram em sacos de feijão rosa quente, inclinando a cabeça para músicas descontraídas. O Atlântico brilha, e as ondas espumosas quebram forte na costa.

Na Ilha do Arroz ( restauranteilhadoarroz.com ), um salão e restaurante na praia, onde as especialidades incluem pastéis de bacalhau e amêijoas um pato bulhão(amêijoas em caldo garlicky), entrei no sulco descontraído com que caipirosca de mirtilo.

Restaurante de praia Ilha do Arroz
 Restaurante de praia Ilha do Arroz, que faz uma ótima linha em caipiroscas frutados

Uma multidão elegante passa pelas casas de pescadores restauradas nas vias navegáveis atrás da aldeia, mas acho um apartamento razoável por 61 € por noite. No começo do dia, entrei na praia a cavalo, num antigo pônei de pólvora que atravessa as dunas e os canters através das ondas. Totalmente sozinha, sinto que estou encenando uma fuga do deserto da Legião Estrangeira.

A Comporta foi encontrada apenas por alguns conhecedores, mas está prestes a se tornar menos segredo, infelizmente. A propriedade de 12,500 hectares deve ser desenvolvida, com cinco hotéis, incluindo um Aman de luxo (a primeira da cadeia na península ibérica) e dois campos de golfe - embora se afirme que todos serão de baixa densidade e sensivelmente arquitetônicos.

Por enquanto, é silencioso. Em um domingo em meados de junho, o ferry que atravessa o estuário do Sado de Setúbal, uma vez por hora, é apenas um terço. Os passageiros incluíam os moradores locais para a praia para um piquenique, alguns Lisboa e o estranho turista estrangeiro. Tudo era pacífico, até as duas dúzias de passageiros correram em massa ao lado do barco para assistir dois golfinhos.

Praias espalhadas com madeira flutuante e o estranho sunseeker nos cumprimentar na costa. É um lugar maravilhoso para passar um dia, embora a costa mais abaixo seja dominada por blocos de torre que teriam Fred Dibnah alcançado a dinamite. Este é o Troia Resort, um desenvolvimento de 1.200 hectares considerado por alguns como um modelo de turismo sustentável: é o primeiro resort em Portugal a ser certificado ISO 14001 (um padrão global para gerenciamento ambiental). Para mim, porém, parece que ele pertence a Dubai. José Mourinho tem rumores de possuir várias propriedades de luxo nas proximidades, que tipo de diz tudo. Para uma opção mais tranquila, mais barata e mais bonita, meu dinheiro está na Comporta.