Muralha do (troo)





Construção da Muralha troço datada do século XV, parte da iniciativa do 8.º Conde de Barcelos, D. Afonso. Possuía três portas principais, das quais apenas resta a Torre da Porta Nova. São ainda hoje visíveis troços na frente ribeirinha do Cávado e na Rua Faria Barbosa.



Capela de Nossa Senhora da Ponte





Capela de Nossa Senhora da Ponte Foi instituída em 1328 e reformulada no séc. XVII, sob o alpendre podem ainda ver-se os bancos e pias de pedra (lava-pés) para descanso dos peregrinos.



Rua D. Antnio Barroso (Rua Direita) em Barcelos





A Rua D. António Barroso (Rua Direita) em Barcelos é uma das mais antigas ruas do centro histórico. Atualmente, é das mais animadas artérias comerciais da cidade. De destacar no início da rua o edifício da autoria do arquiteto José Marques da Silva. Aprecie também o edifício da Caixa Geral de Depósitos, do Arq. Ernesto Korrodi; o edifício com os nº 121 a 129, do Arq. José Vilaça; a Casa de Mathias Gonçalves da Cruz com os nº 79 a 83, revestida por azulejos policromos e um edifício revivalista com uma fachada ritmada por vários pisos alusivos às ordens gregas, entre outras.



Casa da Azenha





Casa da Azenha Este imóvel reabriu ao público em 2015 revigorado e com outro objetivo. No piso superior, funciona um help point para acolhimento e apoio aos milhares de peregrinos que todos os anos cruzam o concelho, a caminho de Santiago de Compostela e outros com destino a Fátima. No piso inferior representa-se o ciclo do pão, uma homenagem válida aos nossos predecessores que contribuíram para o desenvolvimento da atividade da moagem com vista ao fabrico do pão.



Santurio de Nossa Senhora das Necessidades (Barqueiros)





Santuário de Nossa Senhora das Necessidades (Barqueiros) Construído em meados do século XVIII. O templo substitui um nicho onde se guardava a imagem milagrosa da Santa, motivo de grande devoção nas redondezas, o seu estilo arquitectónico situa-se entre o barroco e o neoclassico.



Ponte de Barcelos





A Ponte medieval de Barcelos localiza-se sobre o rio Cávado, na freguesia de Barcelos, cidade e concelho de mesmo nome, distrito de Braga, em Portugal.

Constituiu-se em importante local de passagem para os peregrinos do Caminho Português de Santiago e para as grandes feiras que se realizavam em Barcelos desde a Alta Idade Média.

É uma edificação gótica em pedra do início do século XIV, entre 1325 e 1330, mandada construir pelo Conde D. Pedro, para fazer a ligação entre Barcelos e Barcelinhos.

De notar, a estrutura em cinco arcos que a compõe, sendo o central mais alto, o que representa um traço estrutural da época. Está classificada como Monumento Nacional desde 1910.



Monumento castrejo de Santa Maria de Galegos





O Forno Castrejo localiza-se no sopé do Monte do Facho, na freguesia de Galegos Santa Maria, concelho de Barcelos, distrito de Braga, em Portugal.

Sendo um dos exemplares melhor conservado da Idade de Ferro existentes em Portugal, está situado num dos sopés do Monte Facho, próximo da Citânea de Roriz. Pertence ao interior de um castro de pequenas dimensões



Turismo em Portugal

Explora restaurantes museus hoteis e muito mais em Portugal