Carlos Moedas, presidente da Câmara de Lisboa, vai anunciar nos próximos dias a decisão de restringir os festejos de fim de ano. Ou seja, não haverá típicos concertos na noite de 31 porque isso criaria um grande aglomerado de pessoas.  







Moedas está ainda a estudar se haverá ou não fogo-de-artifício. Mas haverá seguramente grandes restrições, garante.







Carlos Moedas explicou ainda que o fogo de artifício está em avaliação e nos próximos dias serão dadas novidades nesse sentido. Não se vão realizar os típicos concertos na noite de 31 de dezembro, isso criaria um grande aglomerado de pessoas



Turismo em Portugal

Explora restaurantes museus hoteis e muito mais em Portugal