Tudo começou em 2015, quando Benedita, Aveirense, sonhou e idealizou a criação de um projecto único e ideal para férias de famílias. Do sonho à realidade, foram necessários 4 anos para nascerem as 14 casas que compõem o empreendimento turístico.

Há ainda espaço para um restaurante, MAGMA, aumentando assim a oferta de restauração na Ilha do Pico.

O termo aldeia turística vem no seguimento deste ter um pouco de tudo: restaurante, mercearia, piscina aquecida, estúdio de ioga, um jardim com 420 espécies de plantas e, claro, as 14 casas.

 

 



Benedita pensou que, em vez de comprar casas espalhadas no espaço e tempo, tudo isto pedia para comprar mais de uma vez. Mas, se fazer um resort seria o mais lógico e prático e permitiria usar mais área, para declarar os alojamentos como resort