Os 8 melhores pontos turisticos e passeios em Viana do Castelo


Mosteiro de Ermelo Arcos de Valdevez





O Mosteiro de Ermelo localiza-se na freguesia de Ermelo, na vila e concelho de Arcos de Valdevez, distrito de Viana do Castelo, em Portugal. O antigo mosteiro, provavelmente edificado por D. Teresa, adoptou a ordem cisterciense no final do século XIII, integrando deste modo a área sob influência de Santa Maria de Fiães.

Evoluindo com imensas dificuldades, é transformado em 1441 em igreja paroquial, regressando à ordem 1497. Em 1560 apresentava já um avançado estado de abandono, pelo que é secularizado, sendo os seus rendimentos integrados no colégio de S. Bernardo de Coimbra



Palácio da Brejoeira Ex-libris da região de Monção





O Palácio da Brejoeira localiza-se na freguesia de Pinheiros, na vila e concelho de Monção, distrito de Viana do Castelo, em Portugal.

A seis quilómetros a sul de Monção, inscreve-se em uma vasta propriedade rural, dividida entre 18 hectares de vinha, oito de bosque e três de jardim. Este sumptuoso palácio constitui-se num expoente das moradias fidalgas no paí­s.

Ex-libris da região de Monção, é uma grandiosa construção em estilo neoclássico, do início do séc. XIX

Casa senhorial, circundada de altos muros, ao gosto da época, com um frondoso parque de essências arbóreas pouco vulgares.É um conjunto notável - palácio, bosque, jardins e vinhas - que seduz e encanta pela harmonia que dele emana.

Para lá dos seus jardins de estilo inglês, cultivam-se com esmero 18 hectares de vinha de casta Alvarinho que D. HERMÍNIA PAES transforma num dos seus emblemáticos vinhos da Sub-Região de Monção. A moderna adega permite produzir vinhos de qualidade, sem abdicar da tipicidade única do vinho PALÁCIO DA BREJOEIRA.



Igreja de Bravães em Ponte da Barca





Igreja de Bravães Também chamada de São Salvador de Bravães, a Igreja Matriz é o que resta do antigo Mosteiro Beneditino dos finais do séc. XII e princí­pios do séc. XIII. É considerada e sem dúvida reconhecida como a melhor obra prima da arte românica de Portugal, através dos seus trabalhados existentes nas diversas partes do Templo

Antigo mosteiro beneditino que nos finais do século XII se instituiu como comenda dos Templários, passando o mosteiro também nessa altura para posse dos Cónegos Regrantes de Santo Agostinho. Segundo referenciam as "Inquirições" de 1258, D. Afonso Henriques terá coutado o mosteiro ainda antes de 1180.



Igreja de São Fins de Friestas





A Igreja de São Fins de Friestas localiza-se na freguesia de Friestas, concelho de Valença, Portugal. Apesar de bastante alterada pelos restauros da primeira metade do século XX, a igreja de São Fins de Friestas é um dos nossos monumentos românicos mais importantes e um daqueles em que se evidencia, de forma mais clara, a longa duração da influência galega (em particular do estaleiro da Sé de Tui), que, na vertente esquerda do rio Minho, se prolongou mesmo para cá da viragem para o século XIII.

A igreja românica, de uma só nave, data do século XII e fazia parte um mosteiro da Ordem Beneditina (ou segundo o investigador Manuel Luí­s Real dos Cónegos Regrantes de Santo Agostinho).

Apresenta uma cabeceira redonda com os cachorros esculpidos com motivos fitomórficos e zoomórficos em gárgulas.

Está classificada como monumento nacional desde 1910.



Pelourinho de Soajo Arcos de Valdevez





O Pelourinho de Soajo localiza-se no Largo do Eiró, na freguesia do Soajo, vila e concelho de Arcos de Valdevez, distrito de Viana do Castelo, em Portugal.

Monumento Nacional desde 1910, o pelourinho do Soajo é um simples esteio ao alto, colmatado com uma face antropomórfica e um triângulo no topo, a lembrar um chapéu de três bicos. A data da sua edificação é incerta, embora o foral dado à vila por D. Manuel em 1514 possa lançar a sua construção, iniciando a sua funcionalidade de marco jurisdicional.



Ponte da Cavada Velha





A Ponte Nova, ponte da Cavada Velha ou como também é referida, ponte da Cava da Velha, é uma ponte romana em Portugal, sobre o rio Castro Laboreiro, no perí­metro do Parque Nacional da Peneda-Gerês, localizada nas proximidades da inverneira de Assureira, 3km a Sul de Castro Laboreiro, concelho de Melgaço, distrito de Viana do Castelo.

Pela quantidade de pontos de interesse que encerra, Castro Laboreiro merece que lhe dispense algum do seu tempo… A Ponte da Cava da Velha, também conhecida como Ponte Nova, é um desses locais.

Esta ponte romana ergue-se sobre o rio Laboreiro, em pleno Parque Nacional da Peneda-Gerês. Foi originalmente construída por volta do século I e mais tarde, na época medieval, foi adaptada, sendo transformada numa ponte com tabuleiro em cavalete e dois arcos. Desta construção medieval pode-se ainda vislumbrar o pavimento composto por grandes lajes e guardas de cantaria que ligam, dos dois lados, a uma calçada romana.



Igreja de São Pedro de Rubiães em Paredes de Coura paragem obrigatório para quem faz o Caminho de Santiago





A Igreja de São Pedro de Rubiães localiza-se na freguesia de Rubiães, vila e concelho de Paredes de Coura, distrito de Viana do Castelo, em Portugal.

Está classificada como monumento nacional desde 1913, é um dos pontos de paragem obrigatório para quem faz o Caminho de Santiago e vai acolher o próximo concerto da iniciativa Sente a História.

Em causa está a Igreja Românica de S. Pedro de Rubiães, em Paredes de Coura, que vai ser o palco já este sábado, dia 15 de setembro, às 22h, de um espetáculo protagonizado por um dos mais prestigiados grupos de música de câmara portugueses:



Ponte Românica de Vilar de Mouros





Caminha é uma vila portuguesa no Distrito de Viana do Castelo, região Norte e sub-região do Minho-Lima, com cerca de 2 500 habitantes. É sede de um município com 136,52 km² de área com cerca de 16 684 habitantes com 14 freguesias 

Construtivamente, a ponte pode considerar-se um protótipo das pontes góticas nacionais. A grande maioria dos autores que a ela se referiram coincide na proximidade estrutural e estilística para com a ponte de Ponte de Lima, ela sim o verdadeiro modelo de ponte gótica seguida no Norte do país, pela sua dimensão e pelo impacto que certamente teve no panorama laboral e económico do Entre-Douro-e-Minho da altura. Na obra de Vilar de Mouros, o esquema seguido é idêntico, com grandes arcos ligeiramente quebrados, intercalados por olhais sobre talhamares prismáticos, que reduzem, consideravelmente, o peso da estrutura



  • Os 8 melhores pontos turisticos e passeios em Viana do Castelo