15 Melhores Coisas para fazer em Paredes


No distrito do Porto, Paredes é uma cidade e município à beira do Vale do Rio Sousa. É uma pitoresca zona rural do norte de Portugal, com colinas cobertas de vinha e quintas cultivando melões suculentos de casca de carvalho. Atravessando esta região é a Rota do Românico, por isso existem alguns monumentos atmosféricos do período medieval: Você pode procurar duas majestosas igrejas e as ruínas de um castelo preso no conflito com os mouros no século X.

Passe uma tarde despreocupada bebendo vinho verde em uma propriedade antiga e romântica, visite palácios transformados em museus e aventure-se nas ruínas de uma antiga cidade que pode ter governado todo o noroeste da Península Ibérica.

Vamos explorar as melhores coisas para fazer em Paredes :

1. Igreja de São Pedro do Mosteiro de Cete

 

Facilmente distinguida pela sua torre quadrangular semelhante a uma fortaleza, esta igreja medieval é um monumento nacional e uma paragem integral na Rota do Românico do Vale do Sousa. O trabalho começou nos anos 1000, e houve reconstruções até os anos 1300, deixando-nos com uma fusão de estilos românico e gótico.

Os historiadores ávidos têm muito para os manter ocupados aqui, no claustro de 1500, que tem sarcófagos de pedra no seu jardim, ou na capela funerária do fundador do mosteiro, Gonçalo Oveques.

Este mantém a sua tumba decorativa do século XII e está decorado com azulejos Mudéjar dos anos 1500.

2. Pelourinho de Paredes

Uma “Propriedade de Interesse Público”, o pelourinho de Paredes foi trazido para este local em frente à antiga Câmara Municipal (agora academia de música) em 1600.

Neste momento, Paredes foi escolhido como sede do governo local, porque estava na estrada de Vila Real para o Porto e tinha evoluído para a maior cidade neste pescoço da floresta.

O pelourinho foi derrubado no final do século 19, mas logo restaurado na década de 1930.

É um pensamento medonho considerar o que este monumento teria parecido há 400 anos: os criminosos foram publicamente humilhados aqui e depois das execuções partes do corpo teriam sido retiradas deste pilar como um exemplo para os outros!

 

3. Casa de Cultura de Paredes

 

No século XIX, Joaquim Bernardo Mendes, nascido nas proximidades de Penafiel, retornou do Brasil como um homem rico e encomendou este extravagante palácio.

O Palacete da Granja possui algumas das características neoclássicas da arquitetura “Brasileiro”, com uma balaustrada ao longo do telhado, um frontão real e uma fachada revestida de azulejos geométricos amarelos.

Estas foram pintadas à mão na Fábrica de Massarelos, no Porto.

A casa foi grandiosa o suficiente para receber o rei Carlos em 1895, e em 1997 foi transformada no centro cultural com um auditório, anfiteatro ao ar livre e exposições temporárias de arte.

4. Quinta da Aveleda

Mais do que uma simples adega, esta propriedade a poucos minutos de Paredes tem jardins encantadores e uma casa caprichosa revestida de hera.

O vinho quase fica no banco de trás quando você está em turnê.

Estes têm um estilo inglês de fluxo livre, com fontes, cachoeiras, lagoas, escadas cobertas de musgo e um conjunto de loucuras e monumentos que datam de 300 anos, cada um com um conto para contar.

Há até uma torre de pedra para as cabras da propriedade escalarem.

Agora, você não esperaria visitar uma propriedade e vinícola sem provar alguns vinhos verdes, mas a Quinta da Aveleda também produz queijo de primeira qualidade, assim como aguardente, todos estocados na loja após a turnê.

5. Mosteiro de Paço de Sousa

De volta à Rota Românica, você descobrirá outra igreja monástica medieval não muito ao sul da cidade.

Este foi estabelecido como uma comunidade beneditina na década de 900, e foi um refúgio para o clero local quando os exércitos de Almanzor, o governante muçulmano veio através de 995. É uma igreja românico-gótica enganosamente grande, com três naves e uma janela rosa fina em a fachada.

Não saia sem ver a incrível tumba do século XII de Egas Moniz, que foi o preceptor (um alto funcionário das ordens militares cristãs) do primeiro rei de Portugal, Afonso Henriques.

 

6. Circuito Aberto de Arte Pública

Recentemente, Paredes lançou um esquema de regeneração, reformulando-se como um tipo de cidade criativa.

E agora 17 esculturas públicas peculiares e inovadoras de artistas respeitados como José Pedro Croft e Rui Chafes infundiram um pouco de capricho na paisagem urbana.

Muitas dessas instalações encorajam as pessoas a interagir com elas, como “Jogos Engraçados”, um balanço que parece um pouco com forca, ou “Vaso”, que é um vaso gigante em torno do tronco de uma árvore com um banco e uma mensagem sobre sustentabilidade.

7. Torre do Castelo de Aguiar de Sousa

 

Na freguesia de Aguiar de Sousa existia um poderoso castelo medieval, construído por volta do século IX.

Em 995 foi atacado pelo lendário comandante Almanzor, em seu avanço para Braga e Compostela.

Mas devido à topografia quase intransponível e às colinas mais altas nas proximidades, a fortaleza acabou sendo abandonada.

O que está hoje é as ruínas de uma única torre rodeada pelas ruínas de um muro.

Este monumento encontra-se na Rota do Românico e foi renovado em 2009, com degraus que o levam até um miradouro sobre o Vale do Sousa.

8. Aqueduto e Tanques de Cimo de Vila

Em Vila Cova de Carros, este aqueduto tem uma aparência antiga.

Seus pilares de sustentação são blocos de granito profundamente gravado, sustentando um canal que atravessa um vale por meio quilômetro.

O aqueduto transportou água de dois poços para um conjunto de tanques que você também pode admirar.

É um estilo de arquitetura que é único na área de Paredes, e é tão antigo quanto as primeiras décadas do século XIX.

Confira os entalhes em pedra de gárgulas em um dos tanques.

9. “Canhão” da Senhora do Salto

Na aldeia de Aguiar de Sousa, as águas do rio Sousa cortam um profundo desfiladeiro através da pedra.

Estas são algumas das rochas mais antigas da Península Ibérica, datadas das eras pré-cambriana e paleozóica.

As faces de xisto e quartzito são rústicas e sua resistência à erosão formou paredes verticais muito acima do rio.

As paredes escarpadas são um sucesso dos alpinistas, com muitas pegadas e pontos de apoio.

Mas se você quiser apenas admirar a paisagem, há um pequeno parque de piquenique no topo do penhasco, em parceria com uma linda capela antiga.

10. Castro de Monte Mozinho

Castros” são cidadelas no topo da Idade do Bronze e enchem o interior do norte de Portugal.

Não muito longe está o Castro de Monte Mozinho, fora da aldeia de Galegos.

Ocupando 20 hectares, é o tipo de local que pode despertar a imaginação, com uma rede de ruas pavimentadas e as paredes de pedra seca de dezenas de edifícios, todos defendidos por muralhas com mais de 2.000 anos de idade.

Existem celtas, romanos, visigodos e mouros aqui, e há uma teoria de que este castro já foi a capital da tribo galega.

Na parte mais alta desta aldeia há um estranho espaço oval deixado

11. Penafiel

Bem ao lado, a cidade de Penafiel garante pelo menos uma tarde.

A primeira coisa que você notará é o Santuário do Sameiro, uma capela do século XIX sobre a colina mais alta da cidade, com uma escadaria digna conduzindo-o ao topo por um parque.

Se o Castro do Monte Mozinho pegou a sua imaginação, o premiado museu municipal de Penafiel tem moedas, cerâmica e utensílios do site.

O museu está em uma mansão do século XVII que recebeu uma extensão moderna projetada pelo renomado arquiteto Fernando Távora em 2005.

12. Porto

Quando estiver na A4, esta Cidade Patrimônio da Humanidade fica a menos de 20 minutos de distância.

É uma excursão que você não vai esquecer tão cedo porque o Porto não tem apenas algo para todos; tem coisas para muitas pessoas! Se você está fora de pontos de vista pesado a imagem da Ponte Dom Luís I.

Este atravessa o Douro, com veleiros rabelo de madeira na água abaixo e é tão reconhecível como qualquer outro em Portugal.

Os epicuristas podem refinar seu paladar para o porto, o doce vinho fortificado, enquanto os amantes de arte e cultura podem avaliar a casa Art Deco e o museu de arte em Seralves, ou o marco da Casa da Música de Rem Koolhaas.

Há também praias, bairros como a Foz e a Ribeira, e frutos do mar batendo no mundo em Matosinhos.

13. Magikland

A cinco quilómetros de Paredes, Magikland é um dia divertido para famílias com crianças até aos 10 anos.

É um pequeno parque temático com divertimentos de parque de diversões como carros de choque, uma roda-gigante e carrosséis acompanhados por alguns passeios permanentes maiores: há um canal de troncos, uma montanha-russa e um trem que passa pela floresta.

Nos dias de verão, você ficará feliz em saber que o parque tem uma piscina para os jovens.

Para as refeições, há também um restaurante familiar no parque, ou você pode trazer seu próprio piquenique para as mesas na floresta de pinheiros.

14. Vinho Verde

A Quinta da Aveleda é o maior produtor de vinho verde da região.

Se você nunca encontrou esta bebida, não se esqueça de pedir uma garrafa em algum momento de suas viagens.

Este é um vinho jovem, que pode ser vermelho, branco ou rosé e gasta apenas algumas semanas de maturação.

Muitas vezes, ela terá um brilho leve: os brancos são ácidos e crocantes, enquanto os vermelhos são leves e fáceis de beber.

O vinho verde combina muito bem com carne branca, peixe e marisco, mas é tão bom por si só e serve o mais frio possível (até os tintos!).

15. Culinária

Uma refeição para celebrações tradicionais ou encontros familiares é cabrito assado.

Este é cozido em forno de lenha com batatas, e com casca de laranja e coentro para adicionar algum sabor.

O verão significa Melão casca de carvalho, que você conhece pela sua pele áspera e maravilhosa por si só ou com presunto presunto.

A broa de milho é grande em todo o país, mas é uma assinatura de Paredes e um item essencial para comprar na padaria local.

Uma sobremesa muito apreciada no distrito do Porto é a sopa seca doce, normalmente a

  • 15 Melhores Coisas para fazer em Paredes


Outros Artigos Populares no Blogue