15 Melhores Coisas para fazer em Gafanha da Nazaré


Entre a Lagoa de Aveiro e o Atlântico, a Gafanha da Nazaré é uma localidade marítima no concelho de Ílhavo. Com o cheiro de salmoura no ar e arrastões ainda atracados no porto, a maioria de suas atividades terá um tema náutico.

Você pode cochilar na praia assistir as ondas, jantar frutos do mar frescos do oceano e aprender sobre a Frota Branca. Estes eram navios de pesca de bacalhau que navegavam através do Atlântico e até ao Mar do Norte para saciar a fome de Portugal pelo “bacalhau”. Há um museu marítimo em Ílhavo e uma gigantesca traineira no canal da Gafanha da Nazaré, aberta aos visitantes.

Vamos explorar as melhores coisas para fazer na Gafanha da Nazaré :

1. Museu Marítimo de Ílhavo

 

O museu marítimo de Ílhavo abriu as suas portas em 2003. Foi desenhado pela dupla Nuno Mateus e José Mateus, e ainda é citado como um dos edifícios museológicos mais espetaculares do mundo.

Ele lida com todos os aspectos da relação da cidade com o oceano e a lagoa.

Portanto, há uma galeria para as longas expedições de pesca de bacalhau e uma réplica de uma traineira para investigar.

Na “Sala da Ria” vai conhecer a natureza e a cultura da Lagoa de Aveiro, com exemplos reais de embarcações “moliceiros” pintadas.

Você também pode ver mais de perto o peixe que lançou mil navios, no aquário de bacalhau, adicionado em 2013.

2. Navio-Museu Santo André

Depois de ler sobre a Frota Branca no museu marítimo, pode embarcar numa genuína traineira ancorada na Gafanha da Nazaré.

Esta embarcação de carga lateral tem mais de 71 metros de comprimento e foi construída nos Países Baixos para a Empresa de Pesca de Aveiro em 1948. A embarcação estava em serviço no Mar do Norte e em Newfoundland até que foi finalmente reformada em 1997. Embarque e passeie pela bagunça, pelos bairros e pontes dos marinheiros.

O porão massivo foi transformado em uma sala de exposições com pinturas e fotos da Frota Branca

3. Jardim Oudinot

Ao lado do Canal de Mira, no Porto de Aveiro, existe um espaço público agradável que foi regenerado com um esquema multimilionário nos anos 2000.

Em uma antiga zona industrial, há agora trilhas para bicicletas e caminhadas, áreas de piquenique, uma marina, instalações esportivas e fileiras de palmeiras.

Está tudo perto da traineira de Santo André e é onde acontecem os grandes festivais da cidade.

Em meados de agosto há o Festival do Bacalhau, homenageando a antiga frota pesqueira de Ílhavo com demonstrações culinárias, degustações, feiras de artesanato e muitas atividades divertidas para os pequenos.

4. Capela de Nossa Senhora dos Navegantes

Um edifício de herança portuguesa, esta capela é o edifício religioso mais antigo da Gafanha da Nazaré, datado de 1863. Tem um estilo gótico revivalista com uma bonita rosácea e merlões pontiagudos no topo da sua fachada principal.

O portal é feito de calcário pálido da cidade de Ançã a 60 quilômetros ao sul, com um arco ogival esculpido em espiral.

Os pescadores vinham a esta capela para rezar à imagem de Nossa Senhora dos Navegantes antes de partirem em viagem.

5. Lagoa de Aveiro

Medindo 45 por 11 km, a Lagoa de Aveiro é uma das maiores reservas de terras húmidas subdesenvolvidas da Europa.

Para dar uma olhada, você não saberia que essa lagoa é nova, criada pelo movimento tectônico há cerca de 500 anos.

É também muito raso, com uma profundidade média de apenas um metro, e com rotas marítimas que têm de ser dragadas regularmente.

De muitas maneiras, o tempo parou aqui; os barcos moliceiros em forma de meia lua, originalmente utilizados para a colheita de algas marinhas, ainda navegam pela lagoa e pelos canais de Aveiro.

Há também salinas que usam técnicas antigas, usadas para o amado bacalhau salgado de Portugal.

 

6. Praia da Barra

Esta praia de mar divino fica na foz da lagoa a poucos quilómetros do centro da Gafanha da Nazaré.

A Praia da Barra tem a atmosfera de um pequeno resort, com um grupo de restaurantes e bares ao lado da praia e é traçada por um calçadão e dunas baixas.

A praia é em duas partes, e tem uma porção para crianças ao norte que é reservado por quebra-mares, mantendo as ondas do oceano na baía.

Ao sul do quebra-mar, há uma faixa de areia que se estende até a Costa Nova.

Isto é para surfistas e pessoas que podem lidar com ondas turbulentas.

7. Celebrações em honra de Nossa Senhora dos Navegantes

Se estiver na Gafanha da Nazaré para algum sol do final do verão em Setembro, poderá estar a tempo para este extraordinário espectáculo devocional.

Começando no antigo porto de pesca de bacalhau e terminando na Capela de Nossa Senhora dos Navegantes é uma flotilha carregando a imagem mariana do mesmo nome.

Tudo acontece no terceiro final de semana do mês e centenas de embarcações participam.

Estes podem ser iates de luxo, moliceiros tradicionais, rebocadores e arrastões.

A procissão anual ocorre há mais de 150 anos, mas é somente a partir dos anos 70 que ela é conduzida na água.

8. Farol da Barra

O farol mais alto de Portugal tem vindo a introduzir navios no Porto de Aveiro e ao longo da costa desde 1890. Ergue-se acima da área do resort na Praia da Barra, chegando a 62 metros e pintado com argolas vermelhas e brancas.

Se você está se perguntando como deve ser a vista do topo, você pode ver por si mesmo na tarde de quarta-feira.

São 291 degraus até o topo, mas você também pode pegar um elevador.

E a partir do farol você terá uma visão de 360 ° abrangendo a lagoa, Aveiro, Gafanha da Nazaré, Ílhavo e a Península de São Jacinto.

9. Costa Nova

 

Uma bonita vila costeira a cinco minutos da Gafanha da Nazaré, a Costa Nova manteve viva a sua herança piscatória.

Isso se manifesta em suas pitorescas casas de weatherboard.

Pintados em listras brilhantes, estes eram abrigos temporários e armazéns para equipamentos de pesca, mas agora são casas de férias pitorescas.

Você pode alugar uma bicicleta na Costa Nova para descansar ao lado da lagoa ou do mar, e um campo de minigolfe para diversão em família.

A praia é o sonho de um surfista, com ondas quebrando na praia que atingem alturas incríveis no outono e no inverno.

10. Mercado do Peixe da Costa Nova

De frente para a lagoa, o mercado de peixe da Costa Nova está aberto todas as manhãs, exceto na segunda-feira, e seus balcões têm uma seleção desconcertante de peixes e mariscos.

Até conhecedores experientes podem não reconhecer alguns deles.

Nos fins de semana você pode comprar cracas de ganso recém-cozidas ou berbigão, o último lanche para um passeio ao lado do oceano.

O artesanato local é vendido aqui, como rendas e as famosas cerâmicas da lagoa, e você pode comprar provisões diárias como frutas e verduras.

11. Museu da Vista Alegre

A Vista Alegre produziu porcelana de alta qualidade por nomeação real por 200 anos.

Seu fundador, Pinto Basto, escolheu este local pela lagoa em 1815 devido à abundância de todos os materiais e minerais para fazer porcelana, como argila, areia e seixos cristalizados.

O museu está em um prédio de fábrica convertido e incorpora dois fornos e uma coleção de mais de 30 mil itens de porcelana, a maioria criada pela Vista Alegre.

Como parte da visita, você também pode ver dentro das oficinas atuais, onde a porcelana é pintada à mão.

Esta antiga fábrica era o centro de uma aldeia utópica construída a partir do zero, com instalações para manter os trabalhadores saudáveis e felizes, como um teatro e uma creche para crianças.

12. Aveiro

A capital do distrito fica a cinco minutos e tem as lojas e o ambiente de uma cidade grande.

é um shopping center habilmente integrado à cidade no cais, equipado com lojas internacionais de rua, restaurantes e um cinema.

Em Aveiro você também pode deslizar ao longo dos canais em um desses barcos moliceiros pintados de cor passando pelas casas Art Nouveau que se alinham no cais.

Mas se há um motivo para ir, é para o Museu de Aveiro.

Isto está no convento dominicano de Jesus e foi onde Joanna, princesa de Portugal viveu e morreu no 15o século.

Ela era filha de Afonso V, e seu túmulo de mármore incrustado no coro da igreja é excepcionalmente ornamentado.

13. São Jacinto

No Porto de Aveiro, na Gafanha da Nazaré, pode apanhar um ferry através do estuário até à pequena comunidade de São Jacinto.

O barco leva 15 minutos e há até 13 travessias em cada sentido todos os dias.

São Jacinto está no extremo sul da sua península homónima, na costa ocidental da lagoa.

De um lado estão as águas salgadas rasas da lagoa e no lado oeste, a algumas centenas de metros de distância, estão as ondas do Atlântico indomáveis.

E ao norte há dez quilômetros, não há nada além da paisagem desértica das dunas de São Jacinto.

14. esportes aquáticos

Entre a lagoa e o oceano, você terá as condições certas para todos os tipos de aventura baseada em água.

Há um punhado de escolas de surf à beira-mar, oferecendo acampamentos de uma semana ou aulas extras.

E se você gosta de algo com uma curva de aprendizado mais rasa, há sempre bodyboarding.

Na lagoa, empresas como a Riactiva possuem equipamentos e aulas de windsurf e kitesurf, mas excursões guiadas de stand-up paddle também são fornecidas.

E, finalmente, com profundidades baixas e ventos saudáveis, a lagoa é um local tão bom quanto qualquer outro para aprender a navegar em um catamarã.

15. Comida e Bebida

não pode visitar a casa da Frota Branca de Portugal e não experimentar bacalhau salgado pelo menos uma vez.

Portugal tem centenas de maneiras de preparar esta iguaria, e a versão local é assada com cebolas, ervas e batatas fatiadas.

Quer sejam grelhados ou ensopados, os peixes e mariscos são elementos básicos da Lagoa de Aveiro.

As enguias que habitam essas águas são a base de um caldo com tomate, páprica e açafrão.

Há também cataplana, um ensopado com uma mistura de marisco e arroz de marisco, geralmente com mariscos, mexilhões, caranguejo e camarão.

Para sobremesa, o arroz doce é um produto dos arrozais ao redor da lagoa e é temperado com canela.

  • 15 Melhores Coisas para fazer em Gafanha da Nazaré


Outros Artigos Populares no Blogue