15 Melhores Coisas para fazer e visitar em Chaves


A cidade de Chaves, no extremo norte de Portugal, está estabelecida desde os tempos romanos. Eles construíram uma cidade aqui ao redor das nascentes termais e deixaram para trás uma ponte de pedra que ainda carrega suas inscrições em latim.

Avançamos mais de mil anos e chegamos ao reinado de Dom Afonso I, filho ilegítimo do Rei de João I que gerou a Casa de Bragança em Chaves. Esta dinastia governaria Portugal e o Brasil até o século XX. Há um castelo, um punhado de igrejas sublimes, o palácio de Dom Afonso, que tem um museu para a arqueologia romana da cidade e, literalmente, as águas mais quentes da primavera em Portugal ou na Espanha.

Vamos explorar as melhores coisas para fazer em Chaves :

1. Ponte Romana de Chaves

 

Também conhecida como Ponte de Trajano (depois do imperador), esta estrutura é da virada do século II.

Como a maioria das pontes, precisou de manutenção e reconstrução ao longo do tempo, mas os arcos estão nas mesmas posições de 2.000 anos atrás, mesmo que alguns tenham sido engolidos pelas casas à margem do rio.

Os melhores indicadores da grande idade da ponte são as duas colunas comemorativas, ambas com inscrições latinas ainda legíveis.

Uma terceira coluna foi encontrada a montante no leito do rio em 1980 e está exposta no Museu da Região Flaviense.

2. Praça de Camões

 

Em Chaves não há como evitar esta graciosa praça central, que é de parede a parede com casas antigas típicas e monumentos religiosos e cívicos. Não há um único edifício moderno para estragar a vista que você vai ter um par de terraços de café, se você gostaria de ficar aqui por um momento.

Em frente à Câmara Municipal encontra-se uma estátua de Dom Afonso I, o duque de Bragança do século XV, que residia no Paço dos Duques de Bragança.

Ele começou a dinastia que renderia uma longa linha de reis portugueses e imperadores do Brasil.

 

3.Museu da Região Flaviense

 

Os melhores monumentos e artefatos da cidade romana de Aquae Flaviae estão em exposição neste museu na casa de Dom Afonso I.

Este palácio é de 1446 e recebeu uma nova fachada no século XVIII.

Desde o período romano existem colunas coríntias, estelas funerárias e a ponte inscrita do rio Tâmega em 1980. O museu também lança luz sobre a rica pré-história da região, e a peça é uma peça de quatro mil anos de idade. escultura em pedra com o contorno claro de uma mulher.

4. Igreja de Santa Maria Maior

 

Em frente à Câmara Municipal, na Praça de Camões, encontra-se a solene igreja paroquial da cidade, muito provavelmente a partir da Reconquista do século XII.

É construído sobre fundações visigóticas e tem um design românico com refinamentos posteriores da Renascença.

Você pode distinguir os elementos mais antigos, na torre do sino e no portal abaixo, ambos com cantaria primitiva.

O interior é lindo de uma maneira gritante, com vigas de madeira no teto e paredes de granito.

O principal adorno aqui é o órgão, que é barroco e tem um caso com entalhes dourados de querubins.

5. Castelo de Chaves

 

Esta imperiosa torre quadrada é o último remanescente de um castelo estabelecido no século X, quando Chaves foi passada de um lado para o outro entre as forças cristã e mourisca.

Foi concluída na virada do século 14 pelo rei Denis I, e tem um espectro de projetos renascentistas ao gótico tardio.

As paredes de estilo Vauban abaixo são do século 17, cobertas com um bonito jardim e ainda armadas com canhões.

Há uma coleção de artefatos militares dentro da torre, e você pode escalar quatro conjuntos de escadas para observar entre os merlões da cidade e as altas paisagens de Trás-os-Montes.

 

6. Igreja da Misericórdia de Chaves

 

Também na Praça de Camões está esta exuberante igreja barroca do século XVII, antigamente ligada ao hospital da cidade.

A fachada é grande, com três arcos e colunas solomônicas, e embora o interior seja pequeno, há muitas coisas para chamar sua atenção.

As paredes da nave têm requintados azulejos azuis e brancos do século XVIII, do chão ao teto, evocando passagens bíblicas.

Acima da entrada há uma estátua de Cristo que é usada nas procissões da Semana Santa de Chaves, e depois há o clássico altar de madeira dourada, uma assinatura das igrejas barrocas no norte de Portugal.

7. Jardim Público de Chaves

 

O parque público mais antigo de Chaves fica na margem esquerda do Tâmega e foi doado à cidade pelo banqueiro Cândido Sotto Mayor na virada do século XX.

Esta boa ação foi reconhecida com um busto do homem que você pode ver no principal shopping do parque.

Muito antes de ser público, esta terra tinha sido plantada com árvores caducas e coníferas, que têm séculos de idade.

Há cedros altos à beira do rio e um coreto de ferro forjado.

Mas talvez a melhor razão para parar para uma foto da ponte romana rio acima.

8. Forte de São Neutel

 

Na periferia norte da cidade, esta fortaleza do século XVII é uma das de Chaves.

O outro, o Forte de São Francisco, é hoje uma pousada. O Forte de São Neutel foi criado durante a Guerra Portuguesa da Restauração em meados do século e tem uma configuração estelar de estilo Vauban.

Se você é inspirado pela arquitetura militar, você vai querer inspecionar as características inovadoras da época, como os ravelins, baluartes e rampas.

Há uma bonita capela maneirista no recinto principal, uma inscrição comemorativa na entrada e um poço no fosso interior.

9. primavera quente

 

A fabulosa nascente de Chaves surge no Jardim do Tabolado, na margem direita do Tâmega e perto do bairro medieval.

Ele sai em um quase escaldante 73-76 ° C, o mais quente de toda a primavera na Península Ibérica.

A água é levemente carbonatada, com uma composição alcalina supostamente boa para problemas de pele, pressão alta e problemas digestivos.

Você pode refletir sobre a jornada que esta água fez para chegar a este ponto, sendo forçada de uma profundidade insondável através de várias camadas de rocha ígnea.

Você pode passear do jardim até o rio, onde as pedras permitem atravessar a água.

10. Museu de Arte Contemporânea Nadir Afons

 

Álvaro Siza Vieira é um dos tesouros nacionais de Portugal e tem contribuído com edifícios de referência em todo o mundo.

Recentemente, foi contratado para projetar este elegante museu na margem direita do Tâmega, comemorando o igualmente venerado pintor abstracionista geométrico Nadir Afonso, natural de Chaves.

O museu foi inaugurado em julho de 2016 e lida apenas com o trabalho de Afonso, dividindo-o em suas várias fases, do surrealismo na década de 1940 ao seu período “fractal” no início do século XXI.

Há uma apresentação em vídeo sobre a vida e carreira de Afonso, para os não iniciados.

 

Na zona rural a leste de Chaves, há um estranho fenômeno natural cercado por natureza imaculada.

A Pedra Bolideira é uma gigantesca pedra de granito empoleirada na rocha abaixo, de tal forma que uma única pessoa pode fazê-la balançar para frente e para trás.

Você pode se inclinar e empurrá-lo com as mãos ou deitar-se e usar as pernas.

É uma sensação bizarra mover algo que deve pesar pelo menos dez toneladas tão facilmente, e há muito carinho local por essa curiosidade.

12. Castelo de Monforte




Há outro Monumento Nacional a apenas dez quilômetros de Chaves.

Apesar de abandonado, este castelo encontra-se em muito bom estado e assombra o cenário do vale das Águas Livres e da vila de Águas Frias.

Tal como o Castelo de Chaves, Monforte foi reforçado durante o reinado do Rei Denis I e no seu auge a fortaleza foi guardada por três grandes torres.

Estes tornaram-se obsoletos e foram substituídos por bastiões para a Guerra Portuguesa da Restauração no século XVII, e desde esse conflito o local tem sido uma ruína, com intervenções menores ao longo dos anos para evitar o colapso.




  • 15 Melhores Coisas para fazer e visitar em Chaves


Outros Artigos Populares no Blogue