15 Melhores Coisas para fazer e visitar nas Caldas da Rainha


A um passo da costa, Caldas da Rainha é uma cidade termal fundada por uma rainha. No século XV, Eleanor de Viseu descobriu os habitantes locais banhando-se nas fontes de cheiro estranho, e assim começou o primeiro resort de hidroterapia da Europa desde os tempos romanos. Pessoas desceram da cidade de longe em 1800, quando foi decorado com um parque de bom gosto e complexo de spa, agora restaurado como um museu.

Como um lugar onde a nobreza e a burguesia se reuniram, Caldas da Rainha tem muita arquitetura distinta do barroco à Art Nouveau. E nunca lhe faltarão coisas para fazer, com a vila medieval de Óbidos ao lado e duas das melhores praias de Portugal.

Vamos dar uma olhada nas melhores coisas para fazer em Caldas da Rainha :

1. Parque Dom Carlos I

 

Há um gostinho da vida no spa da Belle Époque neste gracioso parque, batizado com o nome do rei Carlos I, que governou Portugal na virada do século.

No final dos anos 1700 as vinhas e olivais que costumavam ser aqui foram liberados para oferecer um espaço para os hóspedes do hospital termal para passear.

Isso evoluiu para um jardim romântico com estátuas, um lago de barco, gramados, um coreto de doces, uma área de piquenique, bar com terraço e caminhos de torcer através da floresta.

Os antigos pavilhões do hospital completam a cena e são refletidos nas águas do lago.

2. Museu José Malhoa

 

José Malhoa foi um proeminente pintor naturalista, nascido nas Caldas da Rainha e activo no final do século XIX e início do século XX.

Ele é feito seu nome com cenas folclóricas e um uso magistral da luz.

Este museu em homenagem a ele está na casa de barcos no Parque Dom Carlos I e tem uma estátua do pintor na frente e um punhado de suas obras em suas galerias.

Estes são acompanhados por esboços, esculturas e medalhões dos séculos 19 e 20, bem como elaborada cerâmica tradicional.

 

3. Museu de Cerâmica

 

Numa cidade com reputação de cerâmica de Caldas da Rainha, esta atração é uma das que não se pode perder.

Em primeiro lugar, o cenário é um sonho, numa propriedade romântica do século XIX, construída para o 2º Visconde de Sacavém, que era um ávido colecionador de cerâmica, criador e patrono.

Ele até iniciou sua própria oficina na propriedade na década de 1890.

Agora é um resumo inigualável da tradição cerâmica da cidade, com exemplos que datam de 1600, mas também reuniu peças de todas as principais fábricas de Portugal e do exterior.

Não deixe de ver os navios antropomórficos feitos por Rafael Bordalo Pinheiro, que se tornaram um ícone Português.

4. Museu do Ciclismo

 

Numa requintada moradia em estilo Art Nouveau, de frente para o Parque Dom Carlos, é um museu gratuito que mapeia a história do ciclismo em Portugal.

Isso é administrado pela cidade e por um punhado de associações nacionais de ciclismo.

Se gosta de ciclismo competitivo, ficará encantado com as exibições da corrida do Porto para Lisboa em 1911 e as primeiras cinco edições da Volta a Portugal a partir de 1927; há camisetas, pôsteres e muitas bicicletas vintage, entre as quais vários modelos da lendária empresa espanhola Zeus.

5. Igreja de Nossa Senhora do Pópulo

 

Monumento nacional português, esta igreja tomou forma no final dos anos 1400.

O responsável era Mateus Fernandes, um mestre do estilo manuelino que passou mais de 25 anos a trabalhar no Mosteiro da Batalha, Património da Humanidade.

A decoração sobrevivente desta época encontra-se na abóbada, que possui bordados elaborados e pilares com motivos florais e um brasão central.

Este é um retábulo maravilhoso, esculpido em mármore no final do Renascimento.

O resto da igreja foi transformado ao longo do tempo, com uma mudança dramática chegando em 1600, quando as paredes da nave receberam uma camada de azulejos atapete (estampados com carpete).

 

6. Museu do Hospital e das Caldas

 

Nos ambientes régias do antigo hospital termal existe um museu sobre as Caldas da Rainha e as fontes termais que atraem as pessoas para a cidade.

É no sítio da Caza Real, onde Eleanor de Viseu, a rainha consorte, ficaria durante as suas visitas no século XV.

Há galerias dedicadas ao seu tempo aqui, bem como o reinado de João V, que desenvolveu o complexo de primavera no século XVIII.

Se você trabalha na área de saúde ou gosta de ver como a medicina evoluiu, você apreciará os antigos instrumentos médicos e fotografias antigas das enfermarias.

7. Fabrica de Faianças Rafael Bordalo Pinheiro

 

Os verdadeiros aficionados da faiança de Cadas da Rainha podem vir à fonte, nesta oficina que foi montada por Rafael Bordalo Pinheiro em 1884. Há mais de 130 anos que esta marca produz cerâmicas funcionais e decorativas ao mesmo tempo.

Não é exagero dizer que alguns desses desenhos produzidos estão na memória cultural de Portugal, sejam os emblemáticos azulejos com folhas de videira e milho, seja as figuras de Zé Povinho, símbolo da classe trabalhadora portuguesa.

A loja da fábrica tem designs contemporâneos e tradicionais (usando os moldes do século XIX!), Combinando ainda usabilidade e ornamentos.

8. Praia da Foz do Arelho

 

Na costa é uma praia maravilhosa que quase desafia a descrição: é um banco de areia onde a Lagoa de Óbidos entra no oceano.

Então, de um lado você tem as ondas do Atlântico rugindo, mas você só precisa andar alguns metros até a praia virada para dentro, banhada pelas águas quentes e transparentes da lagoa.

Desde que você cuide das mudanças das marés, as crianças podem nadar e brincar aqui com segurança, o que é bastante raro na costa do Atlântico.

Há também uma esplanada ao lado da praia com barracas de sorvete e restaurantes, todos com vistas para saborear a lagoa e as falésias ao longe.

9. Praça da República

 

Esta longa praça retangular é o centro nervoso da cidade e não tem escassez de pontos turísticos dignos de cartões postais.

A praça é cercada por casas bonitas pintadas em uma variedade de cores ou com uma camada de azulejos geométricos.

O grande marco é a prefeitura, construída em estilo barroco no século XVIII.

Até mesmo o solo em si é fácil, pois é pavimentado com calçada portuguesa em um padrão xadrez estabelecido em 1883. O nome local da praça é Praça da Fruta, pois há barracas de mercado aqui todos os dias, vendendo frutas, verduras e outros produtos. da região.

Está destinado a ser o maior mercado de agricultores ao ar livre em Portugal.

10. Ermida de São Sebastião

 

Enquanto você estiver visitando a Praça da República, reserve um minuto para encontrar esta linda capela, que fica em uma das ruas laterais desde o século XVI.

A arquitetura é maneirista e barroca, e embora o edifício pareça bastante claro do lado de fora, a decoração de interiores lhe valeu uma lista de “propriedade de interesse público”.

Nas paredes há painéis de azulejos, pintados e fixados em 1600, e contando a vida de São Sebastião, o santo padroeiro da capela.

 

11. Aldeia de Óbidos

 

Uma das muitas vantagens de se hospedar em Caldas da Rainha é que você está a poucos passos de uma das mais belas aldeias de Portugal.

Óbidos também está lá em cima com os destinos de excursões de um dia mais populares do país, por isso vai gostar de poder entrar e sair no início do dia.

De qualquer forma, o recinto da colina é um lugar que você tem que explorar.

Há uma rede de ruas de paralelepípedos, ladeadas por casas caiadas de branco com lojas de artesanato para lembranças.

A Porta da Senhora da Graça é a entrada principal da cidade murada, e é enfeitada com belos painéis de azulejos no século XVIII.

12. Castelo de Óbidos

 

O castelo que encanta a vila de Óbidos foi eleita uma das sete maravilhas de Portugal em 2007. A vila é cercada por suas muralhas externas, enquanto a fortaleza se eleva na encosta e se transforma em pousada. Assim, embora você não possa entrar, pode se consolar com uma caminhada pelas ameias, que o enviará de volta aos tempos medievais.

As vistas de ambos os lados são de tirar o fôlego, sobre os telhados de terracota da aldeia, ou para a lagoa, as montanhas ou o mosaico de terras agrícolas com aldeias que são pequenos aglomerados brancos desta altura.

13. São Martinho do Porto

 

Os que procuram sol são verdadeiramente mimados nas Caldas da Rainha, porque outra das melhores praias do país fica a apenas 15 minutos da estrada.

São Martinho do Porto tem uma baía perfeitamente simétrica, defendida por falésias que circundam e quase se encontram na entrada.

Isso deixa uma extensão em forma de vieira de água ondulante, protegida das correntes oceânicas.

A praia tem areia fina e clara, perfeita para cair e não fazer nada no verão.

O cenário também merece ser visto no inverno, e você pode passear pela praia ao longo de uma trilha que o levará às ruínas de uma capela na falésia do sul.

14. d

Chame de hipérbole, mas você não pode encontrar um local melhor para a diversão baseada na água na Europa.

Os ventos constantes que sopram do Atlântico são a essência dos sonhos dos praticantes de windsurf e kite-surf.

Mas quando você as combina com as águas cristalinas da lagoa de Óbidos, ou com o oceano abrigado na baía de São Martinho, você tem algo muito especial.

Se você é um novato, há um catálogo de empresas que lhe dará a mensalidade para começar.

E nem sequer mencionamos Peniche, a 25 minutos da costa, e batizamos Capital of the Wave.

É facilmente um dos melhores spots de surf da Europa.

15. Comida e Bebida

 

Uma das lembranças que você pode comprar em Óbidos é a ginjinha, que é uma infusão escura de ginja berry (sour cherry).

Em Óbidos, será servido numa taça de chocolate que comerá quando terminar a bebida.

O vinho é também cultivado neste clima oceânico temperado, e a adega Encosta da Quinta leva-o aos bastidores e convida-o a experimentar os seus rosés, tintos e brancos claros.

Para a comida, parece que cada cidade portuguesa tem uma maneira diferente de preparar bacalhau.

Caldas da Rainha não é diferente, e aqui a especialidade é bacalhau assado e batatas que são esmagadas com azeite e alho.

esportes aquáticos

  • 15 Melhores Coisas para fazer e visitar nas Caldas da Rainha


Outros Artigos Populares no Blogue