15 Melhores Coisas para fazer e visitar na Vila do Conde


Esta cidade costeira na foz do rio Ave é um destino de praia com uma história fascinante. Desde a época dos Descobrimentos até o século XX, Vila do Conde era uma cidade de construção naval, montando navios que espalhavam a influência portuguesa na Ásia, África e América do Sul.

Uma réplica de uma dessas embarcações está atracada na Ave, e a antiga Alfândega é hoje um museu que registra a antiga história marítima de Vila do Conde. O resort é uma alternativa mais calma para a Póvoa de Varzim, a poucos minutos a norte, e tem alguns quilómetros de praias arenosas separadas da cidade por um parque costeiro.

Vamos explorar as melhores coisas para fazer em Villa do Conde :

1. Alfândega Régia - Museu de Construção Naval

 

No século XV, a Royal Customs House, no cais, é um museu que mapeia o comércio de construção naval que conquistou todo o rio Ave desde o início da Idade Moderna até o século XX.

Com barcos modelo, ferramentas e tableaux, o museu lida com três campos diferentes.

Primeiro, você mergulhará na Era dos Descobrimentos Portuguesa, quando nomes como Henrique, o Navegador e Vasco da Gama, abriram caminho.

Você também aprenderá mais sobre o papel do prédio como Alfândega, e então há mais profundidade na indústria histórica de construção naval de Vila do Conde, e os tipos de embarcações construídas nessas docas.




2. Nau Quinhentista

 

Atracada no Cais da Alfandega, no rio Ave, há uma réplica de uma carraca do século XVI, exatamente o tipo de navio que teria sido construído nos ancoradouros de Vila do Conde na época.

Este navio foi lançado em 2007 usando carpintaria ancestral e habilidades de fabricação de corda. Uma das muitas coisas interessantes sobre esta embarcação é que ela sintetiza uma fase do Império de Portugal quando a perícia técnica lhe permitiu construir navios com maiores capacidades de carga.

Estes poderiam permanecer no mar por mais tempo para suas expedições à Índia.

Recipientes, um boticário, mapas e instrumentos de navegação estão todos a bordo para tornar as coisas realistas.

 

3. Igreja Matriz

 

Esta igreja maravilhosa surgiu em pouco tempo, de 1496 a 1518. Neste momento, as igrejas e os mosteiros portugueses foram embelezados com ricas esculturas em estilo manuelino, fundindo o gótico tardio com o plateresco espanhol.

Esta igreja é um exemplo brilhante, como você dirá do portal principal, que é carregado com entalhes intrincados.

Estas estão no tímpano, logo acima da porta e no trevo em cima e os pináculos em cada lado.

O interior tem mais do que a pedra manuelina na capela-mor, enquanto o altar é barroco, com madeira dourada da década de 1740.

4. Convento de Santa Clara

 

Este conjunto dominante ocupa uma pequena elevação sobre o Rio Ave e já foi um dos mais ricos conventos de Portugal.

O convento data do século XIV, e a igreja gótica daqui é dessa primeira fase.

O prédio principal do convento é mais novo e foi construído no século XVIII, agora abrigando os serviços municipais de Vila do Conde.

Sua atenção será tomada pela igreja do século XIV, cortando um perfil bélico em um período em que os ataques castelhanos eram comuns.

Há paredes nuas de granito, que abrem apenas com uma janela rosa, e apontam merlões ao longo do telhado.

 

5. Aqueduto de Santa Clara

 

Em consonância com o seu poder, o Convento de Santa Clara atraiu uma grande quantidade de água.

Muito literalmente, de fato, como em 1626, iniciou um projeto gigantesco para melhorar seu abastecimento de água.

Canalizando a água do alto de Terroso, essa estrutura se estendia por quatro quilômetros e precisava de quase 90 anos para ser concluída.

Uma razão que levou tanto tempo é que houve uma interrupção na década de 1630 quando eles perceberam que haviam calculado mal o declive.

Partes do aqueduto foram perdidas nos séculos XVIII e XIX para a construção e danos causados por tempestades, mas quando foi concluído em 1714, tinha 999 arcos.

 

6. Praia Azul

 

Vila do Conde tem várias praias atlânticas, mas a Praia Azul, a cerca de 500 metros da cidade velha, é a nata da cultura.

Esta praia de Bandeira Azul tem uma faixa generosa de areia dourada traçada por um calçadão e ciclovia que percorre vários quilômetros até a Póvoa de Varzim, no norte.

E apesar de ter todas as comodidades para se qualificar para uma Bandeira Azul, a Praia Azul sente-se distante e quase intocada.

Isso se deve à Marginal Atlântica, uma ampla extensão de dunas e arbustos costeiros, mantendo a cidade à distância.

Os jovens podem brincar nas piscinas criadas pelas muitas rochas ao longo da praia, enquanto as áreas mais abertas têm ondas ideais para o surf no outono e inverno.

7. Capela de Nossa Senhora da Guia

 

Um de alguns pontos turísticos interessantes no lado direito do estuário do rio Ave é esta pequena capela.

Um edifício religioso de certa descrição tem estado neste mesmo lugar desde antes do século XII, e o desenho do edifício atual é de cerca de 1636. E embora as paredes caiadas de branco e o telhado de terracota sejam bastante discretos, o interior é tão rico quanto pode ser.

O teto tem afrescos traçados por painéis quadrados dourados e o altar tem uma mistura de mármore e decoração de cerâmica.

Veja também de perto os azulejos estampados nas paredes, feitos no século XVII na Fabrica de Coimbra.

8. Forte de São João Baptista

 

A poucos passos da capela encontra-se esta robusta fortaleza do século XVII, incrustada numa plataforma de pedra mesmo junto à praia.

Esta fortificação esteve ativa por 200 anos, principalmente devido à sua localização estratégica, defendendo os estaleiros no rio Ave dos ataques de piratas e corsários.

Nos anos 80, depois que o forte foi abandonado por décadas, a decisão foi tomada para transformá-lo em um hotel boutique com apenas oito suítes.

Os visitantes ainda podem entrar no complexo pentagonal e escalar as muralhas para ver os bartizans e contemplar a Ave à medida que ela chega ao oceano.

9. Museu das Rendas de Bilros

 

 

Este museu foi inaugurado em 1991 na esplêndida residência da Casa do Vinhal, datada de 1700.

A atração é dedicada a salvaguardar as tradições de Vila do Conde, principalmente o artesanato para o qual o museu é chamado (renda de bilros). Há alguns exemplos muito delicados de rendilhado local em armários, por conta própria ou ligados a roupas de época.

Você pode olhar para os instrumentos usados para criar este material, tanto em Vila do Conde quanto no exterior.

Há almofadas de renda, bobinas e lâmpadas de madeira, e se você vir no dia certo, você poderá ver um habilidoso artesão criando algumas rendas à moda antiga.

10. Praia do Forno

 

Apesar de estar ao lado da cidade, a praia principal de Vila do Conde parece natural e fora do caminho.

Entre o mar e a cidade, a Marginal Atlântica, mantém os arranha-céus à distância.

O único edifício em frente à praia é o Forte de São João Baptista, que traz algum drama para a cena, sentado em sua cama de granito.

A Praia da Forno é uma pequena baía coberta por rochas, que ajuda a filtrá-la contra as ondas e correntes fortes.

No verão há uma fila de quiosques e bares em pequenas cabanas no fundo da praia.

 

11. Casa Museu José Régio

 
 
Na margem esquerda do rio Ave é a casa de uma reverenciada figura cultural portuguesa.

O escritor José Régio foi uma voz delicadamente dissidente durante o regime do Estado Novo no século XX.

Ele herdou essa casa de sua tia e a decorou com o plano de morar lá quando se aposentou.

Isso foi pouco antes de ele falecer, por isso o museu é um instantâneo da vida de Régio: há muita arte religiosa na forma de pinturas, ex votos (oferendas) e estátuas (a religião era um grande tema no trabalho do autor) . Régio também foi destaque no mundo da arte moderna portuguesa, e você pode ver as pinturas que ele coletou, bem como suas próprias obras.

12. Póvoa de Varzim

 

Em apenas alguns minutos até a costa é toda a diversão e escolha de um grande resort de férias.

Você pode ver os blocos de apartamentos da Póvoa de Varzim a partir de Vila do Conde.

A cidade nem sempre foi assim; na virada do século XX foi um refúgio de spa para os ricos e um centro de pesca, com uma frota de veleiros “poveiros”.

Alguns destes navios são restaurados no museu de história (instalado num palácio do século XVIII) e existem memórias da história chique da Póvoa nos pavilhões Art Deco na praia e no casino Beaux-Arts, que remonta à década de 1930.

13. Cividade de Terroso

 

Civilização de um tipo mais antigo aguarda nesta cidadela nas colinas a nordeste de Vila do Conde.

A Cividade de Terroso era um importante assentamento da Idade do Bronze, rodeado por três muralhas defensivas, defendendo dezenas de casas para centenas de pessoas.

As partes mais antigas dessas ruínas têm quase 3.000 anos de idade.

Mas há também vestígios emocionantes da colonização romana do século II aC, quando as ruas ainda estavam pavimentadas com pedras e escavadas para permitir que a água da chuva ou o esgoto fluíssem.

Você pode ver algumas das peças de cerâmica e metalurgia descobertas neste local no museu de história da Póvoa.

14. Festas de São João

 

Os dias 23 e 24 de junho são todos sobre o santo padroeiro, São João Batista em Vila do Conde.

Há comemorações para São João em toda a Região Norte, mas os eventos nessa cidade têm seu próprio sabor.

Sim, as pessoas saem às ruas na noite do dia 23 para se divertirem na Praça José Régio e bater na cabeça com martelos de plástico macio.

Mas há algumas coisas que o tornam especial; primeiro quase todas as varandas são decoradas com enfeites vermelhos e amarelos e talvez uma imagem de São João, enquanto há canções e rituais, como a tradicional viagem à praia no dia 24, que são únicas para esta cidade.

15. As saídas de estilo

 

Este shopping outlet perto de Vila do Conde é um sucesso tão grande na região que existe até um autocarro do Porto.

O que o shopping não tem em tamanho compensa com seu espectro de marcas premium: Calvin Klein, Tommy Hilfiger, Armani, Guess e Polo Ralph Lauren, além de marcas de moda do mercado intermediário, como Mango, Benetton e Levis.

Em Vila do Conde é perto o suficiente para que você possa fazer um dia quando o céu está nublado.

Há acesso Wi-Fi, uma creche e área de recreação infantil, bem como a praça de alimentação habitual

  • 15 Melhores Coisas para fazer e visitar na Vila do Conde