15 Melhores Coisas para fazer e visitar na Covilhã


Esta cidade montanhosa fica a poucos quilómetros do ponto mais alto de Portugal continental As pessoas vêm no inverno para um dos únicos resorts de esqui de Portugal, e no verão para se maravilhar com os picos de granito, lagos e caminhar na floresta.

Na Covilhã é divertido ver como a cidade se adaptou ao seu terreno impossível para o ajudar a deslocar-se a pé, equipando-a com um elevador panorâmico, comboios funiculares e a incrível ponte pedonal da Ponte da Ribeira da Carpinteira. É uma cidade ancorada na tradição e há um museu de primeira linha a documentar a indústria da lã, que apoiou a Covilhã durante quase 300 anos até aos anos 190.

Vamos explorar as melhores coisas para fazer na Covilhã :

1. Museu de Lanifícios

 

A Covilhã vive da fiação e tecelagem de lã desde a década de 1680 e esta herança é orgulhosamente exposta em duas antigas fábricas da cidade: a Fábrica de Panos da Covilhã e a Fábrica Real Veiga.

A primeira locação lida com a indústria no século XVIII, enquanto a segunda se concentra nos séculos XIX e XX.

Começando na Fábrica de Panos, há um vídeo informativo explicando os meandros do comércio de lã da Covilhã.

Em exposição, os dois locais são antigos teares manuais e mecânicos, utensílios de diferentes épocas e uma série de produtos têxteis confeccionados na cidade, incluindo amostras de fios, roupas e tecidos.

2. Funicular de Santo André

 

Antes deste funicular ter sido instalado em 2013, navegar pela encosta na parte sul da Covilhã foi uma tarefa difícil.

O único caminho para o centro da cidade era pelas ruas em ziguezague de carro.

Na última década, a cidade investiu em um elevador e em dois funiculares para incentivar as pessoas a visitar o centro da cidade a pé em vez de dirigir.

Este funicular gratuito eleva-o a 90 metros de altura e tem uma escada paralela à mesma, a Escada de Santo André com 162 degraus.

 

3. Elevador do Parque da Goldra

 

Inaugurado em setembro de 2013 como parte do plano de mobilidade da Covilhã, este elevador é outra atração menor que vale a pena conferir graças às vistas de sua cabine panorâmica.

O elevador liga o Parque da Goldra à Rua Ávila e Bulama, facilitando o acesso à universidade a pé.

O percurso tem apenas 40 metros de comprimento, mas tem uma inclinação de 32 graus, e você pode acomodar 11 passageiros nele.

Há um mirante na plataforma superior com bancos para contemplar a paisagem montanhosa.

4. Ponte da Ribeira da Carpinteira

 

Esta ponte de cair o queixo liga o centro da cidade com a área oriental de Penedos Altos.

Foi iniciado em 2003 e levou mais seis anos e € 3m para ser concluído.

O estilista é o minimalista João Luis Carrilho da Graça, de Lisboa, e a estrutura é linda, ziguezagueando a mais de 200 metros sobre o vale da Carpinteira.

É um passeio para tirar de dia para as vistas da Covilhã, da Serra da Estrela e da Cova da Beira, e à noite quando a ponte é iluminada por duas longas faixas de luz ladeando a passagem.

5. Igreja de Santa Maria

 

Parece que todas as estradas da Covilhã levam a esta emblemática igreja do século XVI.

E poderia competir com os mais bonitos de Portugal, mesmo que muito do que você vê agora seja bem recente.

A igreja foi retrabalhada em estilo barroco histórico no século 19, quando foi dada sua alcova com a Virgem Maria e os frontões dignos acima de suas janelas.

A mais nova mudança é aquela que torna a igreja especial; cobrindo o resto da fachada são painéis de azulejos azuis, adicionados há mais de 20 anos atrás e contando a vida da Virgem.

 

6. Museu de Arte Sacra

 

O mais novo museu da Covilhã abriu as suas portas em 2011 nesta mansão no centro da cidade.

Aqui a diocese da Guarda e o município da Covilhã reuniram mais de 600 artefactos religiosos de mosteiros e igrejas dissolvidos na região.

Há vestimentas, crucifixos, estátuas, livros, manuscritos raros, altares, móveis, pinturas e muito mais, em uma coleção que vai do século XII ao século XX.

Se você já se perguntou o que todas as imagens nas igrejas católicas significam, há uma reprodução de uma igreja no último andar, com painéis ajudando a decodificar os símbolos arcanos.

7. Museu do Queijo

 

Na aldeia de Pêraboa, a poucos quilómetros da Covilhã, pode descobrir tudo o que precisa de saber sobre o queijo da Serra da Estrela.

Nenhuma pedra é deixada sobre pedra, como você é apresentado à raça de ovelha e como isto achou o modo dele por Espanha e Portugal estar aqui, e também os pastores e os cachorros de montanha de Estrela que os unearam desde tempos imemoráveis.

O queijo da Serra da Estrela tem uma peculiaridade interessante, pois o leite de ovelha de que é feito é coalhado usando um cardo local especial em vez de coalho (enzimas do estômago da ovelha). E depois de aprender como é feito, você será convidado a provar uma ou duas peças.

8. Portas do Sol

 

Até ao século XVIII, a Covilhã ficava à sombra de um imenso castelo, construído no século XI e enfrentando ataques de mouros e forças espanholas nos séculos seguintes.

As paredes foram parcialmente demolidas por obras de construção e quase totalmente derrubadas pelo terremoto de 1755.

Mas ainda há evidências na área elevada das Portas do Sol, no oeste da cidade.

Neste pitoresco bairro antigo ainda é possível distinguir os contrafortes que sustentam as habitações, construídas sobre a rocha nua da encosta.

Existem vários lugares para parar e admirar a vista da montanha, enquanto alguns dos edifícios mais recentes são adornados com murais elegantes encomendados pela cidade e rotulados com placas.

9. Praça do Município

 

A praça central da cidade é onde você pode conhecer Pêro da Covilhã.

Foi um explorador, diplomata e espião dos séculos XV e XVI, na Era dos Descobrimentos, cuja carreira o levou à Índia (antes de Vasco da Gama) e à Etiópia.

Pêro é lembrado com uma estátua, em frente à prefeitura, e há também um grande painel de granito polido mostrando suas viagens.

Os edifícios mais antigos da praça têm arcadas, e é uma boa ideia explorar as ruas adjacentes, que outrora foram a morada do bairro judeu da Covilhã e estão decoradas com ainda mais peças imaginativas de arte de rua.

10. Igreja da Misericórdia

 

Merecendo alguns minutos de sua atenção se você está passando por esta igreja do começo do século XVII.

Em seu estilo maneirista é um pouco mais discreto que a Igreja de Santa Maria, mas também sofreu grandes alterações no século XIX.

Na fachada, procure as esculturas das Três Virtudes, Fé, Esperança e Caridade.

Dentro da decoração é bastante discreto.

Há belos azulejos na parte inferior das paredes, mas o destaque é o afresco que cobre a totalidade da abóbada de berço no teto.

11. Senhora da Boa Estrela

 
 
Se os comércios de queijos e lanches tradicionais despertaram a sua imaginação, poderá ser movido por este santuário a 1850 metros e perto do ponto mais alto da Serra da Estrela.

Esta imagem de Maria, esculpida a partir de uma enorme pedra de granito, representa a Senhora da Boa Estrela que é a padroeira dos pastores de Estrela.

O relevo tem oito metros de altura e foi esculpido em 1946. Pode alcançá-lo através da espetacular estrada N339, que serpenteia pelo Parque Natural da Serra da Estrela a oeste da Covilhã.

12. Centro Interpretativo da Cereja

 

sabe tudo sobre as tradições de lã e queijo da Covilhã, mas há mais uma indústria local para descobrir.

Se você deu um passeio pelos arredores da cidade na primavera, quando a flor é celestial, você estará ciente da profusão de pomares de cerejas.

Este pequeno museu a sudeste da cidade é dedicado à cerejeira, e tem exibições multimídia e jogos interativos ensinando sobre as frutas e suas aplicações locais.

Você pode saborear alguns dos produtos locais, incluindo um licor de cereja, vinho de cereja, geléia de cereja e doces, e, claro, há uma loja para comprar qualquer coisa que agrada seu paladar.

13. Torre

 

O N339 também o levará ao ponto mais alto de Portugal continental, a 20 km a oeste da Covilhã e a pouco mais de 2.000 metros acima do nível do mar.

A coisa incomum sobre um ponto tão elevado é que você não terá que deixar seu carro para chegar ao cume, pois a estrada leva você diretamente para lá.

Se você vem em um dia claro de verão, você pode esperar para ver o Atlântico e o resort da Figueira da Foz.

O ponto mais alto é marcado pela Torre, um pilar de triangulação, enquanto há também uma estação meteorológica e um teleférico.

14. Vila do Paul

 

Um dia de viagem obrigatória da Covilhã é esta pequena cidade a cerca de 20 quilómetros a sudoeste, que tem muito para o conquistar.

Primeiro, as vistas da Serra da Estrela são de tirar o fôlego, especialmente no inverno e no início da primavera, quando é coberta de neve.

No verão há muitos pontos de beleza ao redor da cidade, como uma cachoeira natural alimentando uma piscina de águas cristalinas a apenas cinco minutos do centro.

A paisagem também é adorável, com uma rica igreja barroca e casas de granito tradicionais que têm uma característica interessante; poucos têm chaminés, pois os sótãos eram usados como fumeiros para salsichas curadas.

15. Desporte de Inverno

 

Portugal pode ser um dos últimos países europeus que você pensa em esportes de neve.

Mas a alta altitude da Estância de Esqui da Serra da Estrela dá boa cobertura de neve por quatro ou cinco meses do ano até meados de abril.

Há nove pistas marcadas aqui, pesadas principalmente para esquiadores experientes, mas com um punhado de pistas verdes e azuis.

Você também terá muitas opções se quiser sair da pista, com oito corridas vermelhas desafiadoras.

Todas as instalações habituais estão à disposição, incluindo uma escola de esqui e snowboard, três snowparks e aluguel de equipamentos para atividades como tubulação e snowshoeing.

  • 15 Melhores Coisas para fazer e visitar na Covilhã


Outros Artigos Populares no Blogue