15 Melhores Coisas para Fazer e visitar no Centro de Portugal


A região do Centro de Portugal é enorme e abrange todo um espectro de paisagens e nuances culturais. A quantidade de coisas para ver é muito longa para listar aqui, mas é muito diversificada, contando com vários sítios do Patrimônio Mundial e muitas cidades fortificadas.

Uma cidade murada, Óbidos, era a casa medieval da realeza portuguesa, enquanto no leste as cidades eram talhadas em granito e xisto, e pareciam surpreendentes contra o terreno verdejante. Não passe pela região do Centro sem ver os mosteiros reais da Batalha e de Alcobaça ou os históricos edifícios universitários de Coimbra. Os surfistas certamente saberão tudo sobre a Nazaré e suas ondas recordistas. Mas você sabia que há neve no inverno, na Serra da Estrela, no leste da região?

Vamos explorar as melhores coisas para fazer no centro de Portugal :

1. Mosteiro da Batalha

 

No distrito de Leiria, o Mosteiro da Batalha, inscrito pela UNESCO, é um dos tesouros culturais de Portugal e o auge da arte gótica tardia.

Este estilo combina com os elementos manuelinos altamente ornamentais do século XVI.

Se a arquitetura é sua coisa, ou você é absorvido pela história medieval tardia de Portugal, você ficará impressionado com as esculturas e abóbadas da igreja.

O Royal Cloister é incrível também, com incrivelmente delicados traçados em seus arcos apoiados por colunas esguias com todos os tipos de motivos esculpidos nelas.

As capelas inacabadas também são surpreendentes, e você pode ver a tumba solitária do rei Edward do século 15, aberta aos elementos.

2. Universidade de Coimbra

 

Esta instituição foi fundada em 1200, colocando-a entre as universidades mais antigas da Península Ibérica. Foi originalmente em Lisboa e mudou-se para Coimbra no século XIV, acabando por ocupar os antigos edifícios do palácio real de Alcaçova.

Dê uma boa olhada no belo Portão do Palácio, capela, prisão acadêmica, grande salão e arsenal.

Mas o que todos vislumbram é a Biblioteca Joanina, a sensacional biblioteca barroca, com mais de 300.000 livros dos anos 1500 a 1700, armazenados em prateleiras douradas.

Há também 5.000 manuscritos aqui, enquanto no pátio do lado de fora você pode contemplar uma vista aérea de Coimbra.

 

3. Arquipélago das Berlengas

 

A cerca de dez quilómetros de Peniche encontra-se um conjunto de ilhas desabitadas, protegidas como reserva natural e ligadas ao continente com travessias regulares.

O maior é onde você vai gastar seu tempo e, para um lugar pequeno, tem muito para isso.

Esta grande massa de rocha tem um litoral muito recortado cheio de cavernas que você pode entrar em passeios de barco.

Há também um forte antigo, construído sobre as ruínas de um mosteiro e que mais tarde se tornou uma colônia penal.

No verão, o apelo é óbvio, pois há uma praia voltada para o leste, protegida do Atlântico e com águas calmas e cristalinas para se nadar.

4. Convento de Cristo

 

Outro património mundial da UNESCO, este sublime mosteiro em Tomar documenta cinco séculos de arte e arquitectura portuguesa.

Começou como uma fortaleza dos Cavaleiros Templários, como as muralhas defensivas ainda estão aqui, em delicados jardins de buxo.

No interior, a igreja circular é românica, e há muito remanescente desde a época em que foi construída, como as capitais do século XII com motivos foliáceos e animais.

Mas a manchete é a Janela da Casa Capitular, que tem um desenho manuelino e foi esculpida por Diogo de Arruda no início do século XVI.

Passo em volta para apreciar a majestade da escultura aqui e sua desconcertante variedade de detalhes foliáceos e náuticos.

5. Óbidos

 

Em terras altas a poucos quilómetros do Atlântico, Óbidos é frequentemente apresentada como uma das cidades mais bem preservadas em Portugal.

Houve um acordo muito tempo antes da chegada dos romanos, mas Óbidos realmente se destacou a partir do século XII, quando foi favorecida pela realeza portuguesa.

As muralhas medievais continuam a proteger a cidade, que tem uma teia compacta de ruas e praças que serpenteiam até o castelo que hoje é uma pousada. Estas ruas antigas são ladeadas por casas caiadas de branco que têm flores buganvílias e faixas pintadas em seus cantos.

Óbidos está firmemente no circuito turístico no verão e enche-se rapidamente, mas precisa ser visto do mesmo jeito!

 

6. Aldeias do Xisto

 

Principalmente a leste de Coimbra, nas regiões do Açor e Lousã, existem 27 aldeias com casas rústicas feitas de xisto.

É um material bonito, como a rocha vem em cores diferentes, então muitas vezes você verá vários tons diferentes na mesma parede de pedra seca.

Estes são lugares remotos e sonolentos, encravados precariamente em encostas, e muitas vezes visitados em passeios a pé e de barco.

Figueira e Martim Branco ainda têm fornos comunitários para assar pão, enquanto Sarzedas tem uma história que pode ser rastreada até o reinado do rei Sancho I em 1100 e fica perto das ruínas de um castelo da época.

7. Mosteiro de Alcobaça

 

Outro mosteiro estupendo, este é também um local da UNESCO, e foi o primeiro monumento gótico construído em Portugal.

Foi fundada por D. Afonso Henriques em 1153 e a maioria concorda que é o mais belo mosteiro cisterciense do país.

A igreja e os edifícios monásticos estão envoltos em uma fachada do século XVIII, por isso é sempre um choque atravessar os portões e encontrar enormes abóbadas góticas na nave da igreja.

No transepto encontram-se os túmulos do rei D. Pedro I e de Inês de Castro, sua amante, esculpidos no século XIV com um acabamento e pormenores surpreendentes.

8. Mata Nacional do Buçaco

 

No Luso, a norte de Coimbra, existe uma floresta de 400 hectares na Serra do Buçaco.

A razão pela qual esta floresta é essencial é que ela foi criada no século XVII pelas carmelitas.

Eles plantaram todos os tipos de árvores (250 espécies no total) importadas do Novo Mundo, como os cedros brancos mexicanos, então uma caminhada nessas florestas é uma experiência estranha e maravilhosa.

O convento foi substituído no final do século XIX pelo Palácio Hotel do Buçaco, que tem um estilo neo manuelino exagerado.

Há também encantadoras ermidas espalhadas pela floresta e vários miradouros panorâmicos onde pode ver por todo o centro de Portugal.

9. Serra da Estrela

 

Em um país mais conhecido por suas praias e cidades caiadas de branco, a Serra da Estrela merece uma viagem para mostrar que há mais por trás dos estereótipos.

Esta gama inclui Torre, o ponto mais alto de Portugal continental, a pouco menos de 2.000 metros.

No inverno, é um tipo de lugar seguro para a neve, atraindo esquiadores e snowboarders para o Vodafone Resort.

Mas o verão é uma época fabulosa para vir, quando as formações rochosas de granito estão expostas, muitas das quais foram desgastadas em formas estranhas.

Você pode partir em aventuras em desfiladeiros, ao longo de rios de montanha e através de misteriosas florestas de bétulas, que têm uma luz sinistra.

10. Sortelha

 

Uma resposta discreta e mais remota a Óbidos, Sortelha é uma cidade murada que a maioria das pessoas se apaixona à primeira vista.

Foi construído em uma encosta de granito, e esta pedra foi usada para as paredes e casas.

Há também enormes pedras de granito na parte superior da aldeia contra as muralhas defensivas.

Você pode subir por trechos das muralhas e subir escadas que foram cortadas diretamente da rocha.

Veja o que você pode encontrar escondido entre as casas de granito; Um pequeno monumento a procurar é o pelourinho do século XVI, esculpido em estilo manuelino.

 

11. Conímbriga

 
 
O sítio romano mais completo do país fica a poucos quilómetros a sul de Coimbra.

O assentamento foi primeiro ocupado pelos romanos no século 2 aC e nos 100 anos seguintes, floresceu em uma cidade com banhos, um anfiteatro e um fórum.

Tudo isso, incluindo uma basílica, foi escavada.

Mas o que realmente define a pulsação dos historiadores é a acomodação, incluindo insulae (para cidadãos comuns) e domus de luxo.

Um dos últimos, a Casa dos Repuxos foi parcialmente abrigada sob um dossel de vidro para preservar o requintado peristilo e mosaicos.

Os jardins também foram replantados e as fontes cheias de água, como teriam sido há 2.000 anos.

12. Castelo de Almourol

 

Este castelo é dolorosamente pitoresco, com uma ilha escarpada no rio Tejo e reflectido nas suas águas.

Você só pode chegar ao castelo de barco, o que de alguma forma o torna mais especial.

Foi construído em 1171 pelos Cavaleiros Templários, e teve um papel crucial durante a Reconquista, quando Portugal e Espanha foram retomados dos mouros.

Depois disso, perdeu o papel estratégico e tornou-se uma ruína antes de ser reencontrada nos séculos XIX e XX.

Os interiores são claros, mas a atração de uma fortaleza como essa é poder caminhar ao longo do parapeito e escalar a torre principal para apreciar os panoramas.

13. Almeida

 

Como você vê agora, Almeida remonta à década de 1640, quando o rei João IV começou a endurecer suas defesas fronteiriças.

Almeida tornou-se uma cidadela em forma de estrela com um complexo sistema de valas, muralhas e baluartes.

Em poucos anos, ele estava sob ataque e testemunhou lutas quase constantes nos 150 anos seguintes.

Um evento importante foi o cerco em 1810, quando a cidade caiu para os franceses depois que a revista explodiu.

A aldeia comanda pontos de vista na Espanha, mas tem um perfil baixo para torná-la menos vulnerável à artilharia.

Muito permanece, apesar do conflito: o fosso seco ainda está intacto, assim como o principal portão barroco, que exige que você dirija ou caminhe por um túnel pequeno e sinuoso só para entrar na cidade.

14. Surfar

 

O “Centro” recebe as melhores ondas do continente.

Os dois principais pontos são Ericeira e Peniche, que estão cheios de escolas e lojas para você começar.

Se você está aprendendo o básico, as pausas na praia de Peniche serão perfeitas para você.

E se você tiver alguns anos sob seu comando, poderá subir e descer a costa, onde há muitos quilômetros de praias desertas.

Nazaré é outra história inteiramente; no verão é um resort encantador com uma praia espaçosa.

Mas em certos dias no outono e no inverno, o promontório ao norte é o local das maiores ondas já percorridas.

Registros são quebrados com quase todos esses monstros, e as pessoas se reúnem no farol para assistir.

15. Jardim do Antigo Paço Episcopal

 

Em Castelo Blanco os jardins do antigo palácio episcopal são fabulosos e mantêm o mesmo padrão desde os anos de 1700.

Eles são barrocos em estilo e foram encomendados pelo Bispo João de Mendonça Furtado.

Há um arranjo deslumbrante de sebes de buxo que o transportam para fontes ocultas.

Decorar os caminhos são dezenas de estátuas, representando santos, apóstolos e leões.

E há estátuas de reis que guardam a balaustrada nos degraus até o jardim.

Agora, é fácil ver quais eram os reis da ocupação espanhola de 60 anos, porque esculturas desses caras impopulares são propositalmente menores!

  • 15 Melhores Coisas para Fazer e visitar no Centro de Portugal


Outros Artigos Populares no Blogue