15 Melhores Coisas para fazer e visitar na Maia Porto


A norte da área metropolitana do Porto, a Maia é uma cidade industrial próspera, próxima do aeroporto e com algumas empresas líderes de mercado nas suas fronteiras. Se isso não parecer turístico, ainda há o suficiente para merecer uma parada, especialmente se você estiver viajando com crianças. O Zoo da Maia é o melhor da zona do Porto e também a poucos minutos da costa para as praias do Atlântico.

Para o património há igrejas medievais e barrocas, e graciosas propriedades antigas para a nobreza do século XVIII. Além disso, o Porto nunca está longe e tem grandes avenidas e antigos bairros labirínticos para navegar, além de mais museus e monumentos do que você pode levar em um único dia.

Vamos explorar as melhores coisas para fazer na Maia :

1. Zoo da Maia

 

Claro que para obter um sinal positivo dos jovens, o zoológico de Maia é o que atrai a maioria dos excursionistas da cidade.

Embora existam mamíferos variados como tigres, ursos marrons, zebras, capivaras e cangurus, o zoológico é mais conhecido por seus animais de sangue frio: há mais espécies de répteis aqui do que em qualquer outra atração no país.

Você vai encontrar todos os tipos de tartarugas, tartarugas, iguanas, lagartixas e cobras.

Outro famoso habitante é o leão-marinho, que faz um show de alimentação três vezes ao dia.

Há também uma demonstração de aves de rapina com corujas e águias da Eurásia.

2. Santuário de Nossa Senhora do Bom Despacho

 

Esta igreja barroca delicada data de 1742 e é digna de foto por dentro e por fora.

É espetacular em um dia ensolarado, como a fachada é revestida com azulejos azuis e brancos e parece incrível contra um céu claro.

Essas telhas cobrem quase todas as superfícies, até mesmo a torre de sino de três andares, e são dispostas por pilastras e pergaminhos de pedra e duas grandes portas pintadas de azul.

O interior brilha para aquele entalhe dourado de meados do século XVIII que enriquece muitas das igrejas ao redor do Porto.

Isso ocupa todo o altar, que é coroado por uma esplêndida cruz de Malta.

 

3. Fórum da Maia

 

Se algo cultural está acontecendo na Maia, você pode ter certeza de que será nesta imensa sala de concertos, que foi inaugurada em 1991. Há quatro auditórios, com um fora, além de cinco galerias separadas, um café e um bar.

O Fórum tem uma agenda muito animada, com turnês de rock e pop, músicos folclóricos, dança e peças de teatro.

Alguns festivais anuais também são encenados no local, para disciplinas tão diversas como teatro de fantoches e quadrinhos.

Mas o evento principal é a exposição World Press Photo, em novembro e dezembro.

4. Mosteiro de Leça do Balio

 

De longe, você poderia facilmente confundir esta igreja monástica medieval com um castelo.

Tem uma torre quadrada e ameada com merlões pontudos e alças de flechas e apenas algumas aberturas estreitas em suas paredes.

Esta aparência dura data do século XIV, num período em que as forças castelhanas atacaram Lisboa e Porto.

É um edifício com arquitetura gótica predominantemente consistente, com interiores em pedra e nada do dourado barroco que você encontrará em outras igrejas locais.

A decoração mais vistosa foi feita pelo artista manuelino Diogo Pires, do século XVI, que esculpiu o túmulo de Frei João Coelho e a pia batismal.

Quinta dos Cónegos

 

Na Maia fica uma das melhores mansões de toda a área do Porto.

A Quinta dos Cónegos é de 1700 e está envolta em jardins que valem a pena uma visita sozinho.

A parte mais atraente da propriedade é a arcada dupla, com uma bela loggia no primeiro andar, cercada por uma balaustrada de granito.

Dentro há uma capela que reluz com trabalhos em ouro, e espaços vivos enriquecidos com pinturas, esculturas e móveis.

Nos jardins, que também são rastreados por balaustradas cerimoniosas, rastreiam as fontes com uma escultura de um dragão.

 

6. Museu de História e Etnologia da Terra da Maia

 

Na Vila do Castêlo da Maia, este museu de história e etnologia situa-se numa mansão do século XVIII que foi a sede do governo local até 1902. É um lugar para se relacionar com o passado rural de Maia, num local dedicado aos cereais e pecuária até o século XX.

Há uma demonstração da tecnologia tradicional de irrigação e ferramentas para uma variedade de profissões tradicionais.

Nas galerias históricas são antigas cerâmicas e um maravilhoso megálito pré-histórico com padrões enigmáticos.

7. Igreja de Nossa Senhora do Ó

 

Esta igreja românica foi construída na década de 1120, quando a maior parte de Portugal ainda estava sob controle mouro.

Foi originalmente parte de um mosteiro para a Ordem do Santo Sepulcro.

Visitantes com olhos de águia podem encontrar algumas características que remontam à fundação da igreja, às capelas arredondadas na abside e às capitais na nave que têm imagens de animais e folhagens gravadas nelas.

Esculpida acima do portal lateral há uma cruz templária e, no adro, há cinco sarcófagos de pedra, um deles também com a insígnia dos Templários.

8. Torre do Lidador

 

A Maia é facilmente reconhecida pelo contorno elíptico deste moderno arranha-céus, construído em 2001 e que é o edifício mais alto de Portugal, fora de Lisboa.

É um ponto de referência óbvio quando você está visitando a cidade, mas também pode fazer uma visita guiada em determinados dias da semana; É melhor perguntar no escritório de turismo da Maia para saber mais sobre os horários de funcionamento.

No topo desta torre de 92 metros existe um miradouro interior com panoramas de 360º da Maia e vistas para o Porto no sul.

9. Estátua do Lidador

 

Menor visão, mas informativa, esta estátua foi esculpida por Lima do Carvalho e inaugurada em 1984. Retrata Gonçalo Mendes da Maia, a personalidade mais famosa da cidade.

Ele nasceu em 1079, antes de Portugal era mesmo um país.

Durante a sua vida, a sua nação conquistou a independência e foi um cavaleiro do seu primeiro rei, Afonso Henriques.

Mas onde ele realmente ganhou fama (e seu epíteto de "Lidador"), foi em sua morte, quando com a idade de 90 ele supostamente liderou um ataque contra os mouros em Beja.

10. Museu da Farmácia

 

Na zona industrial, a alguns minutos da Maia, encontra-se um museu fantástico, praticamente inexplorado por quem visita o Porto.

Ele rastreia os esforços do homem para curar doenças e aliviar a dor ao longo de vários milênios e inúmeras civilizações.

Existem instrumentos e contêineres da China, Japão, Grécia Antiga, Egito e Roma.

Também estão expostos itens das culturas pré-colombianas das Américas.

Os ladrões de shows, no entanto, são as farmácias reconstruídas, com panelas de barro originais e prateleiras de madeira.

Uma delas é de um palácio otomano do século 19 em Damasco, enquanto outra é a farmácia Estácio, movida peça por peça de sua antiga casa na Rua Sá da Bandeira.

 

11. Parque de Avioso

 
 
Com mais de 30 hectares nas margens verdes de um afluente do rio Leça, este parque é o seu lugar preferido na Maia para um passeio de corrida ou restauração.

Existem caminhos sinuosos através de bosques de eucaliptos, carvalhos, pinheiros e sobreiros, totalizando mais de 4,5 quilómetros.

Também aqui é uma torre de observação elevada que você pode dimensionar para contemplar o parque, bem como parques infantis para os mais pequenos, áreas para piquenique, um café com um terraço e uma lagoa grande.

12. Praias

 

Entre o Aeroporto Francisco Sá Carneiro e o Oceano Atlântico encontra-se a zona industrial da Maia.

A vergonha disso é que as praias continuam quase intactas e são largas, limpas e bonitas, exceto pelas chaminés atrás delas.

Ainda assim, se você quiser um lugar mais pitoresco para relaxar ao sol, você pode seguir o litoral ao norte, até a Praia da Memória, a Praia do Marreco, a Praia da Quebrada ou a Praia da Agudela.

São todos semelhantes, com generosos tapetes de areia dourada, dunas e fortes ondas do Atlântico que batem contra as rochas ao longo da costa.

13. Casa da Música

 

Apenas 20 minutos na Linha C do Metro é a aclamada sala de concertos do Porto, cujo design foi liderado por ninguém menos que Rem Koolhaas.

Foi comparado ao Guggenheim de Gehry em Bilbao, e é um marco tão amado, com uma arquitetura tão inovadora que você pode entrar para uma visita guiada.

Estas ocorrem duas vezes por dia, sete dias por semana.

Não faltam coisas legais para ver no interior, como as duas gigantescas paredes de vidro (a Casa da Música é a única sala de concertos do mundo com duas paredes de vidro), ou o Salão VIP, coberto com azulejos tradicionais portugueses.

14. Casa da Prelada

 

Uma propriedade divertida para explorar por cerca de uma hora, a Casa da Prelada é uma propriedade e jardim projetado pelo arquiteto italiano Nicolau Nasoni.

Ele foi muito ativo na área do Porto no século 18, e também trabalhou na Quinta dos Cónegos na Maia.

O destaque é definitivamente o jardim, que tem um impressionante labirinto de buxo, fontes e árvores gigantescas e retorcidas do século XIX.

Os interiores foram restaurados no século XX e são escassamente decorados e usados como um espaço de exposição ocasional.

15. Porto

 

A 25 minutos de metro, a cidade do Porto é um dia fácil de sair da Maia.

E na verdade há muito mais do que você poderia esperar em um único dia, ou mesmo em um final de semana.

É uma cidade de igrejas barrocas resplandecentes, como a icônica Torre dos Clérigos.

Estes foram decorados quando Porto estava nadando em riqueza e são todos irrestritos.

O bairro da Ribeira é uma zona ribeirinha de terra do Porto, com uma praça movimentada onde as pessoas se reúnem para ocasiões especiais como São João.

Reserve tempo também para a frígida zona costeira, a Foz, a arquitetura do século XVIII, a Praça da Liberdade, os portos na margem sul do Douro e as pontes emblemáticas do rio, desenhadas pela Companhia Eiffel.

  • 15 Melhores Coisas para fazer e visitar na Maia Porto


Outros Artigos Populares no Blogue