Na costa não muito longe de Coimbra, a Figueira da Foz é uma cidade turística com um casino, bares restaurantes e uma enorme praia urbana.

É um destino para fazer o mínimo possível de dia e jantar e festas à noite.

A Figueira da Foz tem muitas casas de férias palacianas, uma do século XVII para o Bispo de Coimbra, e outras nos estilos Art Nouveau e Art Deco, quando a cidade entrou pela primeira vez na moda como um resort.

Dominando o horizonte a norte, encontra-se a Serra da Boa Viagem, uma convidativa cadeia de colinas cobertas de pinheiros com miradouros cénicos, trilhos pedestres e um parque de aventuras florestais.

Vamos explorar as melhores coisas para fazer na Figueira da Foz :

1. Praia da Claridade

 

A generosa praia de areia branca da Figueira da Foz começou a atrair turistas no século XIX, e o bairro de bares, hotéis e restaurantes do Bairro Novo foi logo construído junto a ela.

É uma baía com areias tão largas (a praia urbana mais larga da Europa) que pode ser uma caminhada só para descer até a água! As vistas também são satisfatórias, até às colinas cobertas de pinheiros da Serra da Boa Viagem e do Cabo Mondego.

Instalações são abundantes, com uma legião de guarda-sóis listrados, espreguiçadeiras e lojas e bares na Avenida 25 de Abril para a retaguarda.

Quanto às ondas, as ondas quebram bastante, então há água rasa e segura para os jovens.

2. Casino da Figueira

 

 

O cassino da cidade é um dos maiores da Península Ibérica e também o mais antigo, embora você não o conheça da elegante fachada de vidro do edifício.

Ela remonta ao século 19, como você verá nos interiores opulentos da Beaux-Arts.

Mesmo se você não é um grande jogador, vale a pena uma noite apenas para a decoração e admirar a estuque e afrescos enquanto você medita sua mão na mesa de poker.

Há um punhado de bares e um restaurante de primeira classe, e antes de chegar você pode conferir o programa para ver se o entretenimento se encaixa na sua fantasia.

 

3. Museu Municipal Santos Rocha

 

O esplêndido museu de história, arte e arqueologia da Figueira da Foz foi fundado na década de 1890 pelo proeminente arqueólogo António dos Santos Rocha.

Ele se moveu algumas vezes antes de chegar à sua casa moderna construída em 1976. Há muitas coisas fascinantes para ver, principalmente móveis, esculturas e outras peças decorativas trazidas de colônias na Índia, África Oriental e Extremo Oriente. Leste.

Há uma abundância de arte religiosa de mosteiros e conventos extintos, bem como uma enorme coleção de moedas, sedans, carruagens e armas antigas.

4. Núcleo Museológico do Sal

 

Os pântanos do braço sul do rio Mondego são um tabuleiro de xadrez de salinas.

A produção de sal é mais interessante do que parece, usando técnicas que foram transmitidas por gerações.

Reconhecendo o seu valor, a cidade criou este museu pelos salares há dez anos.

Há um calçadão elevado para mostrar o local e um depósito com exposições sobre temas como o papel do sal na natureza, a história do sal em Portugal, a produção de sal na Figueira da Foz, o ciclo de produção e o habitat natural desses pântanos.

5. Palácio Sotto Mayr

 

Joaquim Soto Mayor era um empresário português que ganhara seu dinheiro no Brasil na virada do século 20 e mostrava sua riqueza neste complexo palaciano a cinco minutos a pé da praia.

Está em uma estrada no Bairro Novo, alinhada com vilas luxuosas da época em que a Figueira se tornou um refúgio predileto para os abastados.

Verifique com o escritório de turismo de antemão sobre os horários de abertura ou uma visita organizada, e você será mostrado em torno desta luxuosa propriedade neo-renascentista, reforçada com porcelana, estátuas, lustres e pinturas.

Até os estábulos parecem uma casa imponente, enquanto há também uma torre de observação projetada como um castelo manuelino.

 

6. Forte Santa Catarina

 

No início da Idade Moderna, a Figueira da Foz era vulnerável a ataques do oceano, e assim um trio de fortes foi construído para deter corsários e marinhas estrangeiras.

Os mais resistentes defenderam a foz do rio Mondego e datam da era filipina do final do século XVI.

Isto tem um plano triangular e foi repetidamente atacado e reconstruído nos séculos XVII e XVIII.

Você pode vir pela vista do alto das paredes e ver a pequena capela maneirista aqui construída em 1598 e com uma imagem de Santa Catarina do século XVIII.

7. Cabo Mondego

 

A Serra da Boa Viagem encontra o Atlântico neste promontório a alguns quilômetros da cidade.

Há um lay-by em uma curva na estrada onde você pode sair e contemplar a cidade e a Praia da Figueira.

Há também um farol aqui em cima, enquanto os penhascos valem uma menção pela sua geologia.

Eles são compostos de rochas sedimentares e são riscados com fósseis do Período Jurássico Médio e Superior.

Há também um panorama incrível do Abrigo da Montanha, um restaurante que fica a uma curta distância do interior e subindo a encosta.

8. Praia do Cabedelo

 

Na margem esquerda do Mondego há ainda outra praia épica.

Este foi dividido em duas seções, ligadas por um calçadão que atravessa as dunas para trás.

Pela foz do rio há uma pequena baía protegida por longos quebra-mares.

Isso mantém as correntes oceânicas para fora, deixando águas calmas e rasas para flutuar.

Do outro lado do quebra-mar fica a parte sul da praia, que continua por um quilômetro e é banhada pelas ondas do Atlântico.

Os surfistas adoram, como descobriremos mais tarde, mas se você estiver apenas pensando em descansar na areia, essa praia também fará o truque.

9. Casa do Paço

 

O Bispo de Coimbra encomendou este palácio no século XVII e fica a poucos passos da marina do Mondego.

O exterior é bastante despretensioso, já que o palácio é integrado a lojas modernas, mas a principal atração é o interior, com quartos e mais salões decorados com azulejos holandeses.

Estes azulejos azuis e brancos foram produzidos em Delft, perto de Roterdão, no início do século XVIII.

Como 6.700 deles (uma quantidade recorde) veio a ser neste palácio é um pouco de um quebra-cabeça.

Uma teoria é que eles foram recuperados de um naufrágio.

10. Centro de Artes e Espectáculos

 

Se você gosta de alguma cultura, você sempre pode ver o que está no programa neste enorme espaço de artes ao lado do Museu Municipal Santos Rocha.

Este moderno edifício foi inaugurado em 2002 e tem dois auditórios, um com capacidade para mais de 800 pessoas e várias galerias.

Há ópera, exposições de arte, dança, música ao vivo, teatro e oficinas para crianças.

O centro também tem um cinema mostrando aclamados filmes independentes.

No momento da escrita, há uma temporada para Wim Wenders.

 

11. Montemor-o-Velho

 

Apenas a 15 minutos a montante encontra-se este castelo ameaçador, sobrevoando o rio Mondego e as plantações de arroz ao lado.

Foi construído no século XI, após a queda de Coimbra, e foi a principal fortificação da região, marcando a fronteira entre o norte cristão e o sul mouro durante a Reconquista.

Você vai perceber por que isso era um ponto estratégico tão valioso quando você patrulha as ameias e pode ver por quilômetros em todas as direções.

Há uma igreja dentro das paredes com arquitetura gótica e manuelina, e acessórios e esculturas que remontam ao século XIV.

12. Surfando

 

De alguma forma, a Figeira da Foz ficou fora do mapa como um destino de surf, ofuscado por lugares como Peniche.

Mas esta cidade se mantém contra os melhores e tem uma comunidade crescente, com um surf camp e várias lojas e escolas.

Há surf na Praia da Claridade, Cabedelo e Murtinheira.

Mas a praia que dá arrepios aos surfistas fica na costa de Buarcos, que no dia certo tem a maior parada à direita da Europa, com seções tubulares vazias que são um sonho de pedalar.

13. Parque Aventura Figueira da Foz

 

Numa estrada serpenteante, a dez minutos da Serra da Boa Viagem, a partir da Figueira, há um curso de aventura que transforma uma área de floresta de pinheiros em uma espécie de aldeia nas copas das árvores.

Você aprenderá as cordas em um curso de teste, mostrando como usar o arnês e os mosquetões antes de subir bem alto no chão da floresta: há uma série de desafios na forma de redes de corda, uma tirolesa de 90 metros e pontes difíceis suspensas por corda e conectando com plataformas fixadas a árvores no dossel.

14. Passeio de Ferry no Mondego

 

Até a década de 1970, o último trecho do Mondego era uma rodovia movimentada de balsas transportando trabalhadores e estudantes de estaleiros.

Esta atividade foi perdida até recentemente, quando o serviço de balsa foi revivido.

Você pode pegar o Saramugo para atravessar o estuário de Cabedelo para um dia de surf ou fazer nada doce na praia.

A mesma empresa também oferece viagens pelo rio, explorando o braço sul e suas fazendas de sal, ou indo até Montemor-o-Velho.

15. Culinária

 

A Figueira da Foz é muito parcial para peixe e marisco (bacalhau, sardinha, mexilhão, enguias e até lampreia), e tem muitas receitas de marca.

Eis aqui alguns dos restaurantes tradicionais: Pataniscas de bacalhau, que é o bacalhau picado e frito, enguias de escabeche, enguias fritas em vinho, vinagre e molho de alho, e caldeirada de petinga, guisado feito com tomate, cebolas e sardinhas de bebê.

Nos dias santos e no Natal, você sentirá o cheiro de broas doces sendo assados, embora sejam populares durante todo o ano.

Estas são tortas de abóbora com passas, nozes e canela.